icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
06/07/2013
19:59

A partida deste sábado, entre Flamengo e Coritiba, no Mané Garrincha, teve a operação dividida entre o Flamengo e o Governo do Distrito Federal, que administra o estádio.

Diferentemente do que aconteceu na primeira partida da Copa das Confederações e também no empate entre Santos e Flamengo, em 26 de maio, não havia lugares marcados. Por outro lado, tal como ocorreu nestes dois outros jogos, pessoas contratadas orientavam o público e não o deixava sentar nas divisórias que servem de passagem. Cerca de 800 pessoas trabalharam na partida.

Em estreia de Mano, Fla sai na frente mas deixa Coxa empatar


A partida deste sábado, entre Flamengo e Coritiba, no Mané Garrincha, teve a operação dividida entre o Flamengo e o Governo do Distrito Federal, que administra o estádio.

Diferentemente do que aconteceu na primeira partida da Copa das Confederações e também no empate entre Santos e Flamengo, em 26 de maio, não havia lugares marcados. Por outro lado, tal como ocorreu nestes dois outros jogos, pessoas contratadas orientavam o público e não o deixava sentar nas divisórias que servem de passagem. Cerca de 800 pessoas trabalharam na partida.

Em estreia de Mano, Fla sai na frente mas deixa Coxa empatar