icons.title signature.placeholder Felipe Domingues
06/06/2014
12:51

Mesmo com tropeços e erros, a Seleção Brasileira Masculina de Vôlei conseguiu a recuperação na Liga Mundial. Vindo de derrota para a Polônia e com três resultados negativos em quatro jogos, a vitória contra a seleção do Irã era essencial para dar moral ao time. E ela veio, apesar das enormes dificuldades, por 3 sets a 2, com parciais de 25-23, 28-30, 26-28, 25-23 e 15-13, em 2h18 de jogo.

A Seleção entrou em quadra com Bruninho, Sidão, Lucão, Maurício, Lipe e Lucarelli. Destes, apenas Sidão, com 16 pontos, Lucarelli, com 13 e Lucão, com 13, foram titulares em todos os sets. Além deles, destaque para Wallace, com 15 pontos e Vissotto, com 12 pontos apenas nas duas últimas parciais.

Agora, o Brasil volta à quadra neste sábado, no mesmo local e horário do jogo desta sexta, às 10h, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

O JOGO:

Primeiro Set:

No primeiro set, a Seleção Brasileira começou melhor, abrindo vantagem e chegando ao primeiro técnico na liderança do placar, com 8 a 4. Na volta, a Seleção deixou o Irã gostar do jogo e os viu diminuir a distância para apenas um ponto. Após um erro de saque de Mahmoudi, o Brasil foi ao segundo tempo com 16 a 13 no placar.

A vitória que parecia fácil e certa, se tornou complicada quando o Irã, treinado pelo medalhista de ouro Olímpico (Sidney-2000), Slobodan Kovac, conseguiu se acertar em quadra e encostar ainda mais no placar, diminuindo a vantagem brasileira de 20 a 15, para 24 a 23.

Mas, em um erro de recepção dos iranianos, o oposto Wallace, que retornou à Seleção após um período de treinamentos em Saquarema, cravou um ataque para dar a vitória na parcial à Seleção, por 25 a 23, em 31 minutos. Wallace foi o destaque, com 5 pontos.

Segundo Set:

A Seleção começou bem, mas caía nos mesmos erros cometidos no primeiro set, como recepções e saques, chegou a abrir 6 a 3 no placar, mas não conseguia se distanciar do Irã, que tinha em Mahmoudi seu principal jogador.

Ainda assim, a equipe brasileira foi ao primeiro técnico novamente na liderança, com os mesmos 8 a 4 do primeiro set, após bom ataque do central Lucão. Na volta, a mesma dificuldade da primeira parcial, com o Brasil errando em recepções fáceis e saques, permitindo que a equipe iraniana empatasse o jogo (8 a 8) e forçando o treinador Bernardinho a pedir o primeiro tempo.

A Seleção seguia pontuando, mas o Irã não permitia uma distância grande no placar, até que, após um bom ataque de Sidão, um erro de levantamento e um de saque do Irã, o Brasil abriu 16 a 13 e foi para o segundo tempo técnico com a vantagem no placar.

Na volta, o Brasil viu o Irã crescer novamente, diminuindo a distância para apenas um ponto, quando o placar já marcava 21 a 20 para o Brasil, e empatando na sequencia, com um bom ataque de Mojtaba.

As equipes seguiam trocando pontos, até que o Irão errou um saque e deu o set point ao Brasil, desperdiçado após o erro de bloqueio de Lucarelli. Com uma recepção errada, novamente do ponteiro, o Irã chegou ao ponto decisivo, com 25 a 24. Lucão conseguiu salvar o ponto e Sidão colocou o Brasil à frente de novo, até o erro de saque de Lipe igualar o placar.

O Irã voltou a ter o ponto decisivo, após duas boas sequencias no ataque, mas Sidão empatou o jogo. Lucarelli errou um saque e deu nova chance aos iranianos que, dessa vez, não desperdiçaram, após erro de recepção de Maurício. Final 30 a 28 em 39 minutos de jogo.

Terceiro Set:

A parcial começou a mais equilibrada do jogo. As equipes trocavam pontos e seguiam sempre empatadas, até que Sidão, com um bloqueio no meio de rede, levou o Brasil à frente no tempo técnico, com 8 a 7 no placar.

As equipes seguiram parelhas e cada ponto era comemorado efusivamente pela Seleção Brasileira, o que mostrava a dificuldade do jogo. Com um erro de saque iraniano, o Brasil foi à segunda parada obrigatória com apenas um ponto de vantagem (16 a 15).

A Seleção errou em duas bolas fáceis e deixou o Irã virar o jogo (18 a 17), forçando mais um tempo de Bernardinho, que não conseguiu mudar o panorama do jogo e viu os iranianos abrirem 20 a 18. Lucarelli com uma boa diagonal e Maurício em um bloqueio simples, colocaram o Brasil de volta ao jogo (21 a 21).

Com um erro de saque de Maurício, o Irã empatou a partida (23 a 23), mas repetiu a falha do brasileiro e deu o set point ao Brasil (24 a 23). Lipe cometeu o terceiro saque errado seguido do jogo e a partida estava novamente empatada. Lucarelli buscou uma ótima paralela, mas após um erro de recepção de Maurício, o jogo seguiu para além dos pontos regulamentares (25 a 25).

Uma recepção para fora de Mario Junior e um toque no bloqueio brasileiro deram ao Irã mais um set point (27 a 26) que fechou após um saque tocar a fita e cair na quadra brasileira, dando números finais à parcial, em 28 a 26, em 34 minutos.

Quarto Set:

A vitória nos dois sets deu moral ao Irã, que entrou na quarta parcial abrindo vantagem (6 a 3) e forçando o primeiro tempo de Bernardinho. Murilo entrou em quadra pela primeira vez no jogo e inflamou a toricda presente no Ibirapuera, mas não o bastante para acordar o Brasil, que foi ao primeiro técnico perdendo por 8 a 4.

Na volta, o Brasil emplacou uma sequencia de cinco pontos, empatando a partida em 9 a 9 e forçando o técnico iraniano, Kovac, a pedir um tempo em quadra. As equipes passaram a trocar pontos, mas ao menos a vibração brasileira na quadra aumentou e a equipe passou a dividir todas as bolas com o Irã.

Com uma largadinha de Sidão, desviando de um bloqueio triplo, o Brasil pulou à frente no placar (13 a 12). Em um simples de Lucão, o Brasil foi à segunda parada técnica à frente, com 16 a 15.

Lucarelli cravou um bom ataque e Lucão, com um lindo ace, colocaram o Brasil com uma vantagem ainda maior (20 a 17). O central sacou três vezes e errou na terceira, trazendo o placar para (21 a 18). Mais um erro de saque do Irã e mais um ponto brasileiro, que seguia "desatento" em alguns lances e cedendo pontos fáceis à equipe asiática.

Dois bons ataques do Irã colocaram a partida com 23 a 21 para o Brasil e Bernardinho aproveitou para pedir um tempo em quadra. Na volta, um bloqueio brasileiro para fora deu mais chances aos iranianos. Mas Vissotto tratou de colocar o Brasil em maior tranquilidade e dar a chance do set point. O Irã diminuiu após um ataque de Sharam, mas viu Vissotto fechar a partida explorando o bloqueio iraniano, em 25 a 23, após 32 minutos. E foi ele o nome da parcial, com seus cinco (e decisivos) primeiros pontos do jogo.

Quinto Set:

O primeiro ponto do tiebreak foi brasileiro, com um ataque de Lucarelli. O Brasil seguia na frente, mas o Irã não deixava a equipe adversária desgarrar no placar, até o bom ataque de Vissotto, que deu vantagem de dois pontos ao Brasil.

Um bom ataque e um ace iraniano deixaram a partida novamente empatada, até o ataque forte de Sidão no meio de rede, que errou o saque, mas viu Lucão cravar o sexto ponto brasileiro (6 a 5). O Irã se recuperou, virou a parcial e foi à parada técnica na frente, em 8 a 7.

Logo no primeiro saque, o Irã mostrava estar com sorte, quando a bola bateu na fita e caiu do lado brasileiro, levando Bernardinho ao desespero no banco de reservas. A equipe iraniana passou a liderar o placar, abrindo dois pontos de vantagem (11 a 9).

Vissotto empatou a partida, mas Lucarelli, com um erro de saque, deu nova vantagem ao Irã que, com um ace na jogada seguinte, chegou à 13 a 11 no placar.

O ponteiro da Seleção foi o maior nome nos dois últimos sets, empatando a parcial em 13 a 13 e vendo Murilo dar a chance do set point ao Brasil, que capitalizou no lance seguinte em novo ponto de Vissotto. No final, 15 a 13 e vitória da Seleção.