icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/11/2013
16:17

A Espanha vai enfrentar a seleção da Guiné Equatorial neste sábado, no país africano, porém, a equipe rival é bem familiar. Da seleção que vai receber a partida, simplesmente 12 jogadores nasceram justamente no país que enfrentar. No total, apenas três jogadores de fato nasceram na pequena pátria de menos de 650 mil habitantes.

Entre os nascidos na Guiné Equatorial está uma das grandes promessas do país, o jovem Valeriano Nchama, que está na equipe juvenil da Inter de Milão. Além dele, apenas o goleiro Ovono e o zagueiro Diosdado são locais. O grosso mesmo da seleção vem da Espanha: Evuy, Akapo, Sipo, Kily, Juvenal, Randy, Igor Engonga, Iván Bolado, Balboa, Belima, Nsue e Bodipo. Todos eles filhos de quem saiu de lá, o que facilitou na naturalização.

E ainda tiveram dois jogadores que se recusam a representar a seleção da Guiné Equatorial por acreditarem que tenham condições de estar na Fúria. Omar Mascarell está na base do Real Madrid, enquanto Pedro Obiang está no Sub-21 da Sampdoria, da Itália.

Entre os outros convocados, quase todos vêm de países que não têm muitas relações com a Guiné, e optam por jogar lá apenas para representar alguma seleção, principalmente de Brasil, Colômbia e Camarões.