icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/11/2013
21:24

Na beira da zona de rebaixamento, o Bahia ficou no 0 a 0 com o Atlético-MG na Arena Itaipava Fonte Nova, na noite deste sábado, em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um time completo - tirando a ausência de Ronaldinho Gaúcho - o Galo não tinha pretensões no torneio, mas queria vencer para dar confiança às vésperas do Mundial.

Já o time da casa era aquele que realmente tinha que mostrar gana pelo triunfo. Mas parou na estabilidade do time de Cuca. O Bahia até teve chances de garantir a vitória, só que falhou na calma e concretização das jogadas ofensivas. Segue na 15ª colocação, mas pode entrar no Z-4 caso Vasco e Fluminense vençam seus jogos neste domingo.

PRIMEIRO TEMPO

O Bahia tinha a vontade, e o Atlético tinha a qualidade. Contudo, o 0 a 0 foi justo na primeira etapa. Com um time veloz, explorando a eficiência tática de Diego Tardelli, o Galo fez boas jogadas de ataque, e o goleiro Marcelo Lomba teve que virar um gato em dois lances seguidos na área baiana.

Mas o time da boa terra tinha a organização no meio e era capaz de acionar bons ataques. Um lance de pênalti polêmico foi reclamado por Cristóvão Borges e companhia. Mas o juiz mandou seguir. O Tricolor de Aço teve até um gol anulado de Willian Barbio, mas o jogador estava mesmo impedido. Sua força estava no lado esquerdo, com Raúl tendo muito espaço para atacar. Porém, os cruzamentos do jogador não foram felizes.

Em um jogo com algumas oportunidades, o empate foi até justo, mas o melhor era ter saído gols para os dois lados. Até porque o público na Nova Fonte Nova era muito bom, com destaque para a boa presença de atleticanos no local.

SEGUNDO TEMPO

O técnico Cristóvão Borges quis acelerar o Bahia ao colocar Wallyson no lugar de Willian Barbio. Tudo bem que o segundo é bastante veloz, mas o primeiro é mais sólido. Não deu certo. O ataque baiano não tinha inspiração e criou poucos lances de perigo.

Mas não se pode dizer nada muito diferente do Galo. Com os olhos já lá no Marrocos, o Galo fez um jogo burocrático e a qualidade de sua linha de frente ficou perdida. Faltou, realmente, liga para os dois times. Quem mostrou bom desempenho foi a defesa alvinegra. Lucas Cândido será mesmo o lateral titular do Mundial e os demais souberam antecipar a marcação de forma eficiente.

No Bahia, ponto positivo para Rafael Miranda, que, por incrível que pareça, ajudou bastante na saída de bola, apesar de o passe nunca ter sido o forte de seu futebol.

Um 0 a 0 ruim para o público que se esforçou a ir no jogo de sábado à noite. Duas equipes sem muita gana de vencer. O campeão da Libertadores até tem justificativa, mas o Tricolor está bem próximo da zona de rebaixamento. E olha que a bola da partida esteve nos pés de Titi, que aproveitou vacilo enorme da zaga na linha de impedimento. Mas Victor salvou.

FICHA TÉCNICA:
BAHIA 0 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Fonte Nova, Salvador (BA)
Data e hora: 9/11/2013 - 19h30
Juiz: Márcio Chagas da Silva (RS)
Auxiliares: Fabricio Vilarinho da Silva (GO) e José Eudardo Calza (RS)
Cartões amarelos: Pierre e Réver (CAM)
Cartões vermelhos: Nenhum
GOLS: Nenhum

BAHIA: Marcelo Lomba; Fabrício Lusa, Lucas Fonseca (Titi, 15’/2ºT), Demerson e Raul; Fahel, Hélder, Rafael Miranda e Marquinhos Gabriel; William Barbio (Wallyson, Intervalo) e Fernandão (Obina, 12’/2ºT). Técnico: Cristóvão Borges.

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva e Lucas Cândido; Pierre e Josué; Diego Tardelli, Guilherme (Luan, 16’/2ºT) e Fernandinho (Neto Berola, 30’/2ºT); Jô (Alecsandro, 34’/2ºT). Técnico: Cuca.