icons.title signature.placeholder Michel Castellar
20/06/2014
17:55

Por causa do sucesso nos dois primeiros jogos realizados em Brasília, o plano operacional de segurança para o confronto entre Brasil e Camarões, na segunda-feira, não será alterado. O contingente pollicial permanecerá o mesmo e 3.488 profissionais estarão em ação.

- Temos uma flexibilidade em aumentar esse número em 400 policiais, mas, por enquanto, não é necessário - disse o secretário de Segurança do Distrito Federal, coronel Paulo Roberto Oliveira.

Na Fan Fest, realizada no Taguaparque, que fica a 25 quilômetros do Estádio Nacional Mané Garrincha, serão 1.404 policiais. O saldo operacional apresentado na tarde desta sexta-feira, após uma semana de Copa do Mundo, é satisfatório segundo o secretário de segurança.

Oliveira destacou que os principais problemas foram perda de celulares e carteiras, além de pessoas atendidas em postos médicos por causa de mal súbito. O secretário de Segurança ainda fez um pedido e solicitou que os torcedores cheguem cedo e entrem no estádio.

O pedido foi motivado pelo excesso de filas registrado na primeira partida, entre Suíça e Equador. Ele assegurou que, após alguns ajustes, as filas no confronto entre Colômbia e Costa do Marfim diminuíram.

- No primeiro jogo, nem todos os detectores de metais funcionaram. Mas na segunda partida, a Fifa conseguiu colocar todos em funcionamento e 15 minutos antes de começar já não havia mais filas - contou Oliveira.

Sobre a possibilidade de ocorrerem manifestações, o secretário de Segurança disse que o aparato policial estará preparado. Nos três primeiros protestos realizados em Brasília, não ocorreram enfrentamentos com a polícia.