icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
icons.title signature.placeholder Rafael Valesi
19/07/2013
19:13

O Brasil entrou pressionado contra o Canadá nesta sexta-feira, pela fase final da Liga Mundial. O time do técnico Bernardinho tinha de vencer a qualquer custo, pois uma derrota eliminaria a equipe do torneio. Mas a vitória veio por 3 a 0, em parte porque a Seleção entrou em quadra como se fosse uma final de campeonato. Pelo menos foi essa a explicação do capitão e levantador Bruninho após o triunfo que colocou a equipe na semifinal da liga, em Mar del Plata (ARG).

- Jogamos como se fosse uma final, era vida ou morte. Conversamos sobre isso, foi nosso jogo mais importante nesta temporada para nós. E encarar a partida desta forma foi importante para vencermos. Jogar com essa cabeça é o que temos de fazer sempre - falou Bruninho aos jornalistas presentes no Ginásio Poliesportivo Islas Malvinas.

O "cérebro" do Brasil em quadra admitiu que começou a partida um pouco nervoso, e que por isso não conseguiu fazer o ataque funcionar. No primeiro set, o Canadá iniciou na frente, e só depois a Seleção Brasileira conseguiu fazer seu jogo.

- Eu comecei meio tenso, minha precisão não estava muito boa. Mas no meio do primeiro set as coisas entraram no lugar e o jogo fluiu. Foi um pouco mais da minha parcela, comecei o jogo tenso, mas depois fizemos uma boa partida - explicou o jogador.  

* O editor viaja a convite da FIVB

O Brasil entrou pressionado contra o Canadá nesta sexta-feira, pela fase final da Liga Mundial. O time do técnico Bernardinho tinha de vencer a qualquer custo, pois uma derrota eliminaria a equipe do torneio. Mas a vitória veio por 3 a 0, em parte porque a Seleção entrou em quadra como se fosse uma final de campeonato. Pelo menos foi essa a explicação do capitão e levantador Bruninho após o triunfo que colocou a equipe na semifinal da liga, em Mar del Plata (ARG).

- Jogamos como se fosse uma final, era vida ou morte. Conversamos sobre isso, foi nosso jogo mais importante nesta temporada para nós. E encarar a partida desta forma foi importante para vencermos. Jogar com essa cabeça é o que temos de fazer sempre - falou Bruninho aos jornalistas presentes no Ginásio Poliesportivo Islas Malvinas.

O "cérebro" do Brasil em quadra admitiu que começou a partida um pouco nervoso, e que por isso não conseguiu fazer o ataque funcionar. No primeiro set, o Canadá iniciou na frente, e só depois a Seleção Brasileira conseguiu fazer seu jogo.

- Eu comecei meio tenso, minha precisão não estava muito boa. Mas no meio do primeiro set as coisas entraram no lugar e o jogo fluiu. Foi um pouco mais da minha parcela, comecei o jogo tenso, mas depois fizemos uma boa partida - explicou o jogador.  

* O editor viaja a convite da FIVB