icons.title signature.placeholder Bruno Braz
09/12/2013
10:12

A equipe do Vasco desembarcou no Aeroporto Internacional Tom Jobim por volta das 9h30, mas ao contrário do que os cerca de 15 torcedores do clube que estavam no local esperavam, ela desceu do avião e embarcou diretamente nas quatro vans que estavam na pista à espera dos atletas evitando, assim, o cruzamento com os cruz-maltinos.

Alguns dos jogadores nem retornaram ao Rio de Janeiro, se destinando às suas cidades natais já que agora eles estão de férias. Revoltados, os torcedores presentes no aeroporto reclamaram entoando cânticos como: "pipoqueiros", o "Vasco é tradição, não é humilhação" e "time ser vergonha". Um dos vascaínos chegou a chorar e pediu o retorno do ex-presidente Eurico Miranda, que ainda não confirmou sua candidatura às eleições do clube no meio do ano.

Embora os ânimos estivessem mais exaltados, a segurança no local era reforçada. Haviam quatro carros da Polícia Militar e dois da Polícia Civil além de muitos seguranças particulares que estavam distribuídos de forma estratégica e à paisana.

Um homem estava vestido com uma camisa do Flamengo no saguão do desembarque mas, ao perceber a presença dos vascaínos, a retirou, com medo de represálias.

MOVIMENTAÇÃO EM SÃO JANUÁRIO

Muitos dos torcedores que estavam no aeroporto se dirigiram para São Januário imaginando que talvez alguns jogadores pudessem pegar seus veículos no estacionamento, mas isso não ocorreu. No estádio também tinham três viaturas da Polícia Militar e duas motos.