icons.title signature.placeholder Michel Castellar
24/06/2014
23:57

Prestes a ser eliminada da Copa do Mundo, Gana ganhou um novo problema: uma ameaça de greve dos jogadores. O motivo da discórdia foi a falta de pagamento da premiação pela participação na competição, o que levou os atletas a cancelarem o treino desta terça-feira após uma reunião em Brasília.

Pela manhã, os jogadores se recusaram a viajar para Brasília enquanto uma solução para o pagamento dos US$ 100 mil (R$ 220 mil), por partida, fosse efetuado em espécie. Após uma reunião entre a Associação de Futebol Ganesa e a promessa de quitação, os jogadores decidiram embarcar de Maceió para a capital federal, de acordo com sites africanos.

A discussão fez com que Gana chegasse a Brasília com 1h45 de atraso. Mas o problema não foi resolvido e assim que se instalaram no hotel, os jogadores organizaram uma nova reunião, presenciada por funcionários do local.

O encontro dos atletas não ocorreu em um salão reservado mas em uma das áreas de circulação do local.

Como não chegaram a um consenso, os atletas de Gana decidiram cancelar o treino previsto para o Centro de Treinamento do Corpo de Bombeiros, marcado para às 17h30. E, caso a Associação de Futebol Ganesa não apresente uma solução, os atletas podem não treinar novamente na quarta-feira, véspera da partida decisiva contra Portugal.

Na noite desta terça-feira, o site oficial da Fifa já retirou de sua programação a coletiva e o treinamento oficial de Gana, eventos realizados na véspera de uma partida. A entidade máxima do futebol não apresentou nenhuma justificativa para o ato.


Gana é a penúltima colocada do grupo, com um ponto e menos um gol de saldo. Portugal ocupa o último lugar, com o mesmo número de pontos mas com menos quatro gols de saldo.

Os líderes do grupo G são a Alemanha, que tem quatro pontos e quatro gols de saldo, seguida por Estados Unidos, que tem o mesmo número de pontos e um gol de saldo. As duas seleções se enfrentam também na quinta-feira, às 13 horas.