icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
25/06/2014
20:03

O caminho do Brasil até a final da Copa do Mundo passará por dois duelos certos contra seleções sul-americanas nas oitavas e quartas de final. Mais do que rivalidade com os vizinhos do continente, os brasileiros sabem que os confrontos costumam ser marcados por muita catimba por parte dos adversários.

Já vacinados contra esse tipo de antijogo, os jogadores da Seleção alertam para que o grupo não caia na provocação durante os jogos.

- As seleções sul-americanas gostam de fazer catimba, mas não podemos cair nessa. Temos de pensar em só jogar futebol. Fazer o melhor, jogar com alegria, respeitando a equipe do Chile, que tem qualidade - disse Willian.

O volante Luiz Gustavo, que deixou o país em 2007, quando jogava pelo Corinthians de Alagoas, não teve a oportunidade de enfrentar times sul-americanos, mas lembra que já jogou contra seleções do cone sul.

- Não vejo muita diferença também. E se tratando de mata-mata não tem de escolher esse ou aquele adversário - comentou o jogador.

Caso vença o Chile, o Brasil terá pela frente o vencedor do jogo entre Colômbia e Uruguai.