icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
18/02/2015
19:08

Em ritmo lento, bem típico de uma Quarta-Feira de Cinzas, o Botafogo, mesmo desorganizado, não encontrou dificuldade para detonar o fraquíssimo Friburguense por 3 a 0, no Estádio Eduardo Guinle. Os gols alvinegros foram marcados por Bill, Jobson e Gegê.

Disposto a liquidar o time serrano em pouquíssimo tempo, o Botafogo abriu o placar logo aos seis minutos de jogo. Bill, em contagem regressiva, marcou mais um. Agora, com quatro gols marcados em 2015, faltam 26 para alcançar os 30 que prometera para este ano.

E MAIS
> Confira a tabela atualizada do Campeonato Carioca
> Veja em Tempo Real como foi a vitória do Glorioso
> ATUAÇÕES: Decisivo, Jobson recebe a maior nota do Fogão
> Bill elogia segundo tempo do Botafogo na vitória sobre o Frisão



De positivo, além do gol, e dos raros e às vezes improdutivos dribles de Jobson, o surpreendente bom estado do gramado do Eduardo Guinle, mais conhecido, até então, pelo número de lesões que provocou.



Tirando algumas boas trocas de passe, como na jogada que resultou no primeiro gol alvinegro, nada mais. A morosidade do jogo era tanta que o árbitro Maurício Machado Coelho resolveu terminar a primeira etapa quase um minuto antes de o tempo regulamentar se esgotar.

O segundo começou ainda mais lento. E também de forma desastrada. Tomas, aos seis minutos, recebeu livre de marcação pela esquerda, avançou, avançou e... caiu, sozinho, como se houvesse tropeçado na linha da grande área adversária.



Mesmo sem imprimir forte ritmo, e ainda confuso em campo, o Glorioso chegou ao segundo. Bill, pelo lado direito da área, cruzou, Jobson, impedido, marcou de cabeça. Depois de hesitar alguns segundos, em dúvida sobre sua condição, festejou à la Cristiano Ronaldo.

   Jobson comemora ao lado de Bill. Dupla voltou a funcionar (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

A partir daí, facilitado pela inoperância do Friburguense, o Botafogo ficou ainda mais lento e dispersivo. Tanto que René Simões viu necessidade de mexer na equipe. Tirou Fernandes e pôs Gegê. Já Sassá entrou na vaga de Jobson.

As alterações surtiram efeito. Aos 24, Sassá recebeu na direita e cruzou. Gegê, livre no meio da área, não teve dificuldade alguma para balançar e dar números finais o jogo de baixo nível técnico.

Se a exibição não foi das melhores, o placar agradou em cheio. Afinal, o Glorioso segue firme a brigar no topo da tabela. O Carnaval alvinegro não para não!

FICHA TÉCNICA

FRIBURGUENSE 0 X 3 BOTAFOGO

Estádio: Eduardo Guinle, em Nova Friburgo (RJ)
Gramado: Péssimo
Juiz: Mauricio Machado Coelho
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos e Eduardo de Souza Couto
Público/Renda: 3.831 pagantes / R$ 117.840,00
Cartões Amarelos: Bidu e Zé Victor (FRI); Fernandes e Bill (BOT)

Gols: Bill (6'/1ºT) , Jobson (11'/2ºT) e Gegê (35'/2ºT)

FRIBURGUENSE: Marcos, Sérgio Gomes, Cadão, Bidu e Felipe; Zé Victor (Luquinhas, aos 11'/2ºT), Damião, Rômulo (Tufy, no intervalo)e Jorge Luiz; Ziquinha e Thalles (Lohan, aos 30'/2ºT). TÉC: Gérson Andreotti.

BOTAFOGO: Jefferson, Gilberto, Renan Fonseca, Roger Carvalho e Carleto; Marcelo Mattos, Willian Arão, Tomas e Fernandes (Gegê, aos 16'/2ºT); Jobson (Sassá, aos 23'/2ºT) e Bill (Murilo, aos 37'/2ºT). TÉC: René Simões