icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira
12/07/2014
07:58

Com apenas 23 anos, o apoiador João Gabriel coleciona passagens por clubes de menor ex-pressão no início de carreira, além de rodar pelas divisões de base de clubes maiores, como Fluminense e Figueirense. E após dar tantas voltas pelo Brasil, retornou ao Rio de Janeiro mais experiente e com apenas uma ideia na cabeça: se firmar num clube grande. E ele encara a oportunidade dada pelo Botafogo como a chance de fazer o seu nome no futebol.

Para se firmar, João se espelha em alguns dos novos companheiros de elenco. Honrado por poder atuar ao lado de jogadores experientes e vencedores como Carlos Alberto, Emerson e Jorge Wagner, João Gabriel quer aproveitar a passagem pelo Rio de Janeiro para ser, enfim, reconhecido.

– Eles (Carlos Alberto, Emerson e Jorge Wagner) são jogadores nos quais me espelho e que já têm um nome no futebol. Vim para o Botafogo com esse intuito. Quero fazer meu nome no futebol – garantiu.

Por ter chegado a General Severiano na pausa durante a disputa da Copa do Mundo, João Gabriel pode ser considerado a última opção para o setor de criação, que – além de Carlos Alberto e Jorge Wagner – conta com Daniel e Gegê. Porém, ele sabe que se for bem nos treinos, pode ganhar uma chance do técnico Vagner Mancini.

– Busco ir bem para disputar essa vaga nos treinos. Tenho personalidade para isso. A cobrança vai existir pela camisa que o Botafogo tem. É uma responsabilidade grande vestir a camisa do Botafogo – declarou João Gabriel, ontem, na primeira entrevista coletiva como jogador do Glorioso.

Emprestado até o fim do ano pelo União São João (SP), dono dos direitos federativos, João Gabriel tem pouco tempo para mostrar que pode ficar em definitivo. Agora, tem que trabalhar!