icons.title signature.placeholder Felipe Mendes
14/03/2014
07:30

No fim de janeiro, Joanna Maranhão anunciou em seu perfil no Instagram o seu adeus das piscinas aos 26 anos de idade. Dona do melhor resultado da natação feminina brasileira em Jogos Olímpicos – o 5º lugar nos 400m medley em Atenas-2004, aos 17 anos –, a agora ex-nadadora, que disputou os Jogos Pan-Americanos de Winnipeg-1999 com apenas 12 anos, se disse cansada de ser, na modalidade que praticava, uma voz solitária contra o que classificou de politicagem no esporte.

O jeito contestador fez, segundo Joanna, surgir retaliações dos dirigentes. Sem apoio em muitas ocasiões, precisou bancar do próprio bolso viagens para treinos internacionais e nas necessidades exigidas para uma atleta de alto rendimento. O resultado, segundo a ex-nadadora, é uma dívida atual de R$ 412 mil.

Nesta entrevista ao LANCE!Net, Joanna faz um desabafo franco sobre a natação brasileira. Além das críticas aos dirigentes, diz que falta união dos nadadores do país. E faz uma revelação. Enquanto a maioria dos competidores brasileiros sonha em disputar os Jogos Olímpicos Rio-2016, ela afirma que não tinha essa ambição, pois isso a colocaria ao lado dos que fingem que está tudo bem.

Para ler a entrevista completa, clique aqui e acesse o LANCE! Digital.

Só faltou o ouro! Relembre a carreira de Joanna Maranhão