icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
10/07/2014
11:00

Jhon Cley quer jogar. Meia de origem, o jogador perdeu espaço na sua posição e surge como uma nova opção para atuar como segundo volante. É nesta função que o técnico Adilson Batista vem trabalhando o atleta, na equipe reserva. Com as recentes saídas de Danilo e Fellipe Bastos do clube, Jhon surge como uma das opções para jogar mais recuado e ser o substituto de Fabrício ou Pedro Ken, titulares do treinador.

O jogador despontou como uma das principais promessas dos juniores do Vasco e logo ganhou vaga na equipe principal com o então técnico Cristóvão Borges, em 2012. No entanto, apesar de ter disputado 25 jogos no profissional, não se firmou e retornou aos juniores no segundo semestre do ano passado para participar da Taça BH. Com a faixa de capitão, conduziu a equipe ao título do torneio e foi eleito o melhor jogador. Foi a senha para voltar aos profissionais, desta vez para não sair mais.

- Estou me sentindo bem. Tive a volta para os juniores, para disputar a Taça BH, mas graças a Deus me destaquei lá com o grupo e fomos campeões. Agora estou tentando me afirmar cada vez mais no profissional - declarou o atleta, de 20 anos de idade.

Mas, com Adilson Batista, além de se adaptar novamente à equipe principal, precisará se acostumar a uma nova função na equipe.

- A posição que eu frequentemente jogava na base era no meio campo, posição do Dakson e do Douglas aqui. Hoje o Adilson está me testando como volante e vou tentar dar meu melhor. Onde o professor colocar qualquer atleta para jogar, ele tem que tentar ajudar o grupo. Se ele precisar de volante, vou jogar de volante. Se precisar jogar de meia, vou jogar de meia. Se ele precisar que eu jogue aberto, eu vou jogar aberto. Nós garotos que estamos subindo só queremos jogar. A oportunidade que tivermos em qualquer posição, vamos mostrar nosso trabalho – garantiu.

Jhon Cley tem um combustível muito especial fora de campo para ganhar novamente confiança. Há dois meses nasceu João Pedro, seu primeiro filho, que já traz muitas alegrias e inspiração ao jogador.

- É a melhor coisa do mundo estar ali no parto e ver aquela criança nascer. No momento já muda sua vida. A alegria foi muito grande.

João Pedro já está gravado no braço direito do pai, que até queria homenagear o próprio nome.

- Eu queria colocar Jhon Cley Júnior. Mas a mãe não deixou - brincou. 

Paixão pelo filho gravada no braço direito de Jhon Cley (Foto: Guilherme Borini)