icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/11/2014
07:32

O jejum de vitórias do Santos, que chegou a nove jogos no último domingo, após derrota por 1 a 0 para o time reserva do São Palo, se tornou um incômodo e um assunto constante, que se sobressaiu até em relação aos salários atrasados referentes ao mês de novembro. O técnico Enderson Moreira, que antes não falava muito sobre o assunto, admitiu que a soma de maus resultados está incomodando.

– Isso incomoda todo mundo, atletas e comissão técnica, mas temos que levantar a cabeça nas derrotas, nestes momentos, para que o Santos possa planejar bem 2015. O que fica de legado depois dessa eliminação na Copa do Brasil é que precisamos caminhar para ter uma equipe mais competitiva e que mereça os títulos - afirmou, após a partida contra o Tricolor.


Quando o Peixe trocou de treinador em setembro, a equipe chegou a subir três posições na tabela, de 11º para 8º, mas freou. Agora, o Santos de Enderson chega a nove derrotas no geral, em 21 jogos. Na tabela, tem 47 pontos e voltou a ser o 11º colocado. Ao todo, os treinadores comandaram o mesmo número de jogos no Brasileirão, e Oswaldo venceu seis, empatou cinco e perdeu sete em seus 18, aproveitamento de 42,6% dos pontos. Já Enderson venceu sete, empatou quatro e perdeu as mesmas sete, com 46,2%, já próximo do antecessor.

Seu antecessor, Oswaldo de Oliveira, perdeu dez jogos em 44 partidas desde fevereiro. Quando foi demitido, sua sequência era de cinco derrotas em seis jogos do Campeonato Brasileiro. No caso do atual comandante santista, são quatro resultados adversos nos últimos cinco confrontos.