icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/07/2013
20:47


Ao defender dois pênaltis na disputa contra o Figueirense, na última quarta-feira, o goleiro Jefferson tornou-se o protagonista da classificação alvinegra para as oitavas de final da Copa do Brasil. Devido ao destaque, o apoiador Seedorf definiu o camisa 1 como um "monstro".

– É a primeira vez que ouço um jogador me chamar de monstro. É uma demonstração de carinho e profissionalismo. Depois que parei para pensar no que o Seedorf disse. Agradeço a ele – disse Jefferson.

Mas a relação entre os dois maiores ídolos do atual elenco nem sempre foi harmoniosa. O capitão e o holandês tiveram algumas divergências e chegaram a discutir em jogos e treinamentos. Mas, com o passar do tempo, o clima melhorou e, recentemente, Jefferson foi à festa de aniversário do filho de Seedorf.

– No Botafogo não tem nenhum herói, o Botafogo é que está de parabéns – finalizou o arqueiro, deixando de lado o rótulo de herói.


Ao defender dois pênaltis na disputa contra o Figueirense, na última quarta-feira, o goleiro Jefferson tornou-se o protagonista da classificação alvinegra para as oitavas de final da Copa do Brasil. Devido ao destaque, o apoiador Seedorf definiu o camisa 1 como um "monstro".

– É a primeira vez que ouço um jogador me chamar de monstro. É uma demonstração de carinho e profissionalismo. Depois que parei para pensar no que o Seedorf disse. Agradeço a ele – disse Jefferson.

Mas a relação entre os dois maiores ídolos do atual elenco nem sempre foi harmoniosa. O capitão e o holandês tiveram algumas divergências e chegaram a discutir em jogos e treinamentos. Mas, com o passar do tempo, o clima melhorou e, recentemente, Jefferson foi à festa de aniversário do filho de Seedorf.

– No Botafogo não tem nenhum herói, o Botafogo é que está de parabéns – finalizou o arqueiro, deixando de lado o rótulo de herói.