icons.title signature.placeholder Walace Borges
03/04/2014
02:29

Comentário unânime após a dramática vitória do Flamengo contra o Emelec, em Guaiaquil, nesta quarta-feira, é o que o time encarnou o espírito da Libertadores. Tanto os jogadores como o próprio técnico Jayme de Almeida reconheceram que esta foi a partida do Rubro-Negra mais encaixada com o estilo da competição.

Em entrevista coletiva concedida após o triunfo, Jayme de Almeida afirmou que o Flamengo entendeu que não se pode jogar bonito o tempo todo para ganhar jogos fora de casa na Libertadores.

O Flamengo jogou no ritmo e no jeito que se joga a Libertadores. Tem momentos que dá para jogar bonito, outros não. Acima de tudo, tem que ter muito coração, muita vontade, lutar o tempo inteiro. Os meninos se comportaram de uma maneira grande. Fico feliz por trabalhar com esse grupo que, desde o ano passado, vem surpreendendo pela forma acreditar que é possível. Não nos classificamos, sabemos que temos um jogo dificílimo contra o León, que é perigoso, mas essa vitória nos dá força para jogar no Maracanã com a torcida e lutar - afirmou o comandante, fazendo uma análise da partida:

- Nossa proposta acabou dando certo. Tínhamos uma estratégia de marcarmos bem o Emelec e o problema grave na lateral. No caso do Welinton, cria do Flamengo, conheço desde garoto e sei que posso confiar, tem velocidade e força. Meu medo era o que aconteceu por não jogar há muito tempo. O Caicedo é muito veloz, mas foi uma escolha boa, deu conta do recado. No lugar do Everton, pensei no Lucas (Mugni), mas optei pelo Negueba, que está treinando bem, tem muita velocidade e ajuda na marcação. O mais marcante foi o espírito do grupo. Fez uma partida com alma, coração e inteligência. Fechamos bem a defesa, apostamos no contra-ataque e fomos felizes.