icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/02/2015
17:08

Com a saída encaminhada para o Jiangsu Sainty, da China, o meia Jadson não está relacionado para o duelo do Corinthians diante do Linense, em Lins, às 19h30 desta quarta-feira, pelo Campeonato Paulista. O jogador participou do treinamento desta terça, no CT Joaquim Grava, mas o técnico Tite não irá mais utilizá-lo.

De acordo com o Timão, o clube ainda espera o depósito dos chineses de cerca de 5 milhões de euros (R$ 16,2 milhões). Faltam ainda troca de documentos e também os últimos detalhes do acerto entre Jadson e o Jiangsu. Enquanto isso não se resolver, ele seguirá treinando e não será relacionado para as partidas. A expectativa é que nos próximos dias tudo seja concretizado.

- O Corinthians vira refém da situação quando o atleta concorda em sair. O Corinthians está aguardando o depósito. O clube chinês deve estar tomando as providências em relação à formalização com o atleta. Agora tem de assinar para que o clube chinês possa dar o próximo passo - afirmou o diretor de futebol alvinegro, Sérgio Janikian, em entrevista no CT Joaquim Grava.

- O clube chinês se manifestou e avisou que ia depositar a multa. A única maneira de isso não dar certo é se o atleta voltar atrás. Se não, não tem mais jeito - completou.


A intenção da diretoria alvinegra era segurá-lo até o término da Libertadores. No entanto, o presidente Roberto de Andrade e o diretor de futebol afirmaram que ficou "de mãos atadas", porque o meia pediu para sair e o clube chinês aceitou depositar o valor da multa rescisória.

- (Sair) É uma decisão dele, ele é um profissional. Se ele decidiu que quer ir, se voltar atrás, tudo é uma decisão dele. Eu não tenho direito de decidir por ele. Veio uma comunicação oficial do clube avisando que iria pagar a multa. Eu não tive contato pessoalmente com o Jadson. Se paga a multa, a gente vira refém da Lei Pelé - ressaltou o dirigente do Timão.

*Atualizada às 17h35