icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
10/07/2014
19:20

Na reta final de preparação para a luta contra Gegard Mousasi, Ronaldo Jacaré acabou ganhando mais tempo para estar 100% pronto para o segundo combate de sua carreira diante do armênio-holandês. O confronto estava originalmente marcado para o UFC 176, no dia 2 de agosto, mas a lesão de José Aldo, que faria a luta principal da noite contra Chad Mendes pelo título dos penas, adiou todo o card. O atleta, que iria protagonizar a co-luta principal, teve seu duelo remarcado para o UFC Fight Night 50, no dia 5 de setembro, em Connecticut, nos Estados Unidos.

Mesmo ansioso para a luta e já praticamente com seu camp chegando ao fim, Jacaré não vê muitas alterações em sua programação por conta da decisão da organização. Porém, o lutador reconhece que a preparação terá de sofrer algumas adaptações.

- Tenho mais tempo para treinar com esse adiamento. Já estava na reta final, preparado para a luta, perdendo peso, mas não me atrapalha. Estava pronto e o desafio foi adiado para um mês a mais só. Tenho que ver com os treinadores como vai ficar o novo treinamento, se temos que segurar um pouco, o que vai ter que ser feito, mas todos estão tranquilos. Estou pronto para trabalhar, treinar e lutar. Tenho certeza que foi por uma boa causa e sei que o UFC vai me colocar em um excelente evento - declarou o atleta, através de assessoria de imprensa.

No Rio de Janeiro, onde realiza seu camp, o lutador afirma que esta é a hora de conseguir uma grande vitória para seguir sua escalada rumo ao topo da categoria até disputar o sonhado cinturão dos médios.

- Estou treinando para estar pronto e vencer. Preciso arrancar uma grande vitória e este é meu foco principal. Não tem como chegar nesta luta e fazer mais ou menos. É para ganhar bem mesmo e mostrar de vez todo meu valor - admite, elogiando os parceiros de treino, um deles que já esteve por anos onde "Jaca" sonha chegar.

- Tenho excelentes parceiros de treinamentos, como o Gregory Robocop, e a parte técnica do Anderson Silva está sendo fundamental e me ajudando demais. Ele está voltando à sua forma antiga e isso está sendo ótimo. Tem sido um grande parceiro também - comemora.

Anderson Silva e Jacaré durante treino na X-Gym, no Rio (FOTO: Reprodução)

Revanche não é motivação
Derrotado por Mousasi no Dream 6, em setembro de 2008, Jacaré não encara a luta contra o rival como uma revanche. Na ocasião, o brasileiro sofreu uma pedalada no momento que controlava a luta, por cima, e acabou sendo nocauteado. A derrota, segundo o lutador capixaba, serviu como aprendizado para novos desafios.

- Não vejo como azar, vejo que o dia era dele, que conseguiu aplicar um golpe e venceu aquela luta. Agora já se passaram muitos anos, somos outros lutadores. Não digo que é uma revanche. Ele é um lutador que respeito muito, mas quero entrar no octógono para impôr meu jogo e nocautear, finalizar, vencer com a decisão dos juízes... De qualquer maneira, mas vencer - garante.