icons.title signature.placeholder Fátima Petronieri
01/07/2014
07:50

Os brasileiros Walter Muoio, de 29 anos, e Jeferson Maccari, de 25 anos, e o argentino Lisandro Valdano, de 23 anos, se conheceram na Itália, jogando pelo clube italiano de fustal Lecco Calcio A5, em outubro de 2012. Além de parceiros de time, moravam juntos, dividiam as tarefas de casa e passavam horas jogando videogame, como forma de matar a saudade de casa. Desde maio do ano passado, quando deixaram de atuar juntos, os atletas não se viam. Porém, não perderam o contato e se falavam através das redes sociais, principalmente para um alfinetar a seleção do outro nos dias de jogos. Contudo, a Copa do Mundo no Brasil trouxe a oportunidade do reencontro. Em uma conversa de whatsapp, Lisandro disse a Walter que viria ao Brasil, pois tinha comprado ingresso para as oitavas de final - já contando que a Argentina passaria em primeiro na fase de grupos -, e o brasileiro então ofereceu seu apartamento em Itaquera para ele e seu irmão, Federico Valdano, de 28 anos, ficarem.

Os argentinos chegaram domingo à noite e ficarão até quarta hospedados na casa de Walter e sua mulher Fernanda Muoio, de 26 anos. Nesta segunda, Walter levou os hermanos para conhecer a Arena Corinthians e tentar ver o treino da seleção de Messi. Como não conseguiram, conheceram o redor do estádio e outros argentinos que por lá estavam. À noite, aproveitaram para relembrar os bons momentos que passaram na Itália.

- Assistimos Brasil x Argentina do mundial de futsal em 2012. Vitória do Brasil em um grande jogo! O mais engraçado é que o Lisandro torceu pro Brasil, ele não gosta da seleção argentina de futsal e admira muito os jogadores brasileiros - contou Walter, sobre assistirem juntos o clássico sul-americano.

Apesar da rivalidade, a cultura dos países os aproximou ainda mais na Europa. Questionados pela reportagem do LANCE!Net sobre os melhores jogadores da atualidade, o hermano Lisandro diz preferir o talento de Falcão ao futebol de Messi e Neymar. Já o brasileiro Jeferson mostra preferência por Messi, pois ele "desequilibra a partida sozinho". Federico e Walter também opinaram e deixaram o coração falar mais alto.

- Fico com Messi primeiramente porque ele saiu da base do Newell's Old Boys, meu time do coração. E segundo, porque ele é o mais talentoso de todos, o melhor do mundo - disse o argentino Federico.

Neymar não passou em branco na casa e foi lembrado pelo brasileiro.

- Na minha opinião os três são grandes gênios da bola, mas vou ficar com o Neymar pra dar sorte na Copa! (risos) - disse o dono da casa.

Melhorias em Itaquera

A Arena Corinthians não atriu apenas estrangeiros para a região, mas trouxe também melhorias. Segundo Walter e Jeferson, moradores da zona leste, o bairro melhorou desde a construção do estádio. A única dificuldade que enfrentam é quando ocorrem protestos.

- Sem dúvida. Isso é indiscutível! Itaquera está renovada. Percebemos as melhorias que foram feitas graças ao estádio. Nos dias de jogos a rotina muda mais por conta de protestos que pela Copa em si - conta Walter.