icons.title signature.placeholder Marcelo Braga
19/11/2013
08:08

A diretoria do Santos praticamente jogou a toalha por Marlone, meia-atacante do Vasco que já esteve próximo de um acerto para a próxima temporada, mas que agora deverá ser negociado com algum outro clube.

Internamente, a diretoria santista se mostra bastante irritada com a postura dos agentes do jogador, e usa a palavra “leilão” para descrever o que virou a negociação de clubes como Corinthians, Cruzeiro e Atlético-MG para tê-lo em seus elencos a partir de janeiro.

Segundo a coluna De Prima da última sexta-feira, os empresários Marcus Sanchez e Fernando Garcia acertaram a compra dos 60% direitos econômicos que pertencem ao Vasco. Reginaldo Duarte segue dono dos outros 40%. Diante do cenário, procuram a melhor vitrine para valorizar o atleta de 21 anos. A estratégia de todos os clubes é a mesma: pagamento da multa de R$ 5,4 milhões e acerto salarial diretamente com o estafe do atleta.

Otimista até a última semana, quando acreditava que poderia seduzir o jogador para jogar na Vila Belmiro com amarras de contrato que tornariam os ganhos vantajosos ao longo dos meses, a diretoria do Peixe agora vê os demais clubes oferecerem valores salariais muito superiores ao que hoje planeja dar.

A sensação dos executivos de futebol do Santos é que o negócio escapou das mãos do clube alvinegro. Há algumas semanas, as partes chegaram até a trocar minutas de contrato, mas o vazamento da informação no LANCE!Net, em 1 de novembro, e o interesse em cascata de outros clubes acabaram inflacionando o valor do atleta revelação do Vasco.

Agora, com a ajuda da Teisa (Terceira Estrela Investimentos S.A.), a tendência é que o clube busque outros atletas com o perfil jovem e de bom retorno financeiro.