icons.title signature.placeholder Enrico Bruno
30/07/2014
16:38

Ronaldinho se despede do Atlético-MG, mas não de sua trajetória no futebol. Em sua entrevista coletiva na Cidade do Galo nesta quarta-feira, dois dias após a decisão de rescindir o contrato com o clube mineiro, o meia descartou a possibilidade de se aposentar:

- Pretendo sim, continuar a fazer história, e a partir da semana que vem já vou pensar nisso. combinou de pensar mais sobre o futuro na semana que vem. Aproveitarei esses dias pra me desligar de tudo, mas sei que o telefone dele (Assis) está tocando bastante.

Com ar extremamente descontraído - a ponto de dirigir um malicioso  "sentirei saudades" a uma jornalista - R10 destacou o fato de "sair de cabeça erguida" do Galo:

- Sair em paz é maravilhoso, é bom sair em paz, só tenho a agradecer ao povo mineiro. Sempre respeitei os outros torcedores, só tenho a agradecer a vocês jornalistas. Saio daqui cheio de amigos, não só atleticanos e que trabalham comigo. Saio daqui com a consciência tranquila.

Questionado se o técnico Levir Culpi apressou seu desejo de desligamento do Atlético-MG, Ronaldinho foi veemente:

- Não tem nada a ver com o Levir. Trabalhei pouco com ele, não tive a oportunidade de conhecer, mas desejo toda a sorte do mundo. É um grande treinador.

O craque definiu a conquista da Recopa Sul-Americana como o momento no qual decidiu encerrar sua passagem pelo Galo:

- Quando fechou o ciclo, conquistando o título (Recopa Sul-Americana), fechou uma etapa. Saí sorrindo, feliz, com cabeça erguida, com o que pretendia pelo clube.

O jogador também deixou um agradecimento ao Atlético-MG:

- Poderei dizer que tenho uma segunda casa. O que fiz aqui me deixou em casa. Posso morar em qualquer lugar, mas aqui sempre será minha segunda casa. Fiz algo e vou levar para o resto da minha vida.

R10 RELEMBRA SEU CICLO: 'O GALO É INESQUECÍVEL PARA MIM'

Em relação à história de dois anos e dois meses no Atlético-MG, R10 trouxe uma extensa lista de lembranças, do cotidiano às conquistas:

- Muitos momentos de alegria, títulos. Dia a dia, todo mundo junto, com pessoal de cozinha, da portaria, momentos de muita alegria. E jogando, fazendo parte de grupo de amigos. Dó tenho a agradecer e correram por mim, os que sairam e os que permanecem. O momento mais emocionante foi quando pensava em parar, com problema da minha mae, em muitas coisas o Galo é inesquecivel para mim.

Decepções? Sim. Relacionadas ao fim de temporada de 2012 e de 2013:

- Queria muito ter ganho o Mundial lá no Marrocos e o Brasileiro. Lutei, me empenhei bastante. São títulos que fizeram falta mesmo.

O camisa 10 recordou seu início no clube e agradeceu ao mandatário Alexandre Kalil (a quem chamou de "papai  Kalil") pela confiança:

- Tudo começou quando conversei com o presidente, foi tudo muito rápido. Já cheguei e fui treinar. Senti firmeza no cara (Kalil), que pra mim é o cara. Foi tudo muito rápido e a partir daquele momento senti que poderia dar a volta por cima em um grande clube.

Emocionado, o meia deixou um recado para a "Massa" atleticana:

- Para essa criançada e para a torcida do Galo, gostaria de dizer que não é um adeus, é um ate breve. Vou continuar vindo aqui, visitando meus amigos. Estou deixando muita gente aqui que conheci. A torcida do Galo pra mim é eterna. Vou com eles até o fim.

Após descartar a possibilidade de receber uma estátua no Atlético-MG ("foi uma brincadeira do Kalil, eu queria entrar para a história com títulos), o jogador de 34 anos recebeu o Galo de Prata, honraria do clube concedida aos que ajudaram a levar o nome do Atlético-MG pelo mundo. Ronaldinho também não deixou por menos e presenteou o mandatário.