icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/03/2014
13:02

Arsène Wenger completa neste sábado 1000 jogos no comando do Arsenal. E caiu justamente contra o Chelsea, um dos principais rivais dos Gunners, e que tem José Mourinho como treinador. O português deu parabéns ao francês, mas não deixou de cutucar o desafeto.

- O único tributo que pode ser prestado é o de que todos nós gostaríamos de ter os mesmos privilégios nos nossos clubes. Admiro Wenger e o Arsenal, pois só é possível atingir 1000 jogos em um clube fantástico na forma como apoia o seu treinador, especialmente quando houve muitos maus momentos - disse José Mourinho durante entrevista coletiva:

- Também gostaria de atingir essa marca mas é muito, muito difícil, especialmente no futebol moderno. Eu posso ser relacionado com três anos e meio no Chelsea e com esta temporada. Vamos ver se chego aos 500 jogos. Seria fantástico.

Os dois times são rivais diretos ainda na briga pelo título do Campeonato Inglês. O Chelsea lidera a Premier League com 66 pontos, quatro a mais que Liverpool e Arsenal, mas ambos têm uma partida a menos. Para Mourinho, isso não torna o jogo mais complicado ou especial.

- Não terá mais significado do que o jogo com o Aston Villa. Talvez até um pouco menos por aquilo que aconteceu em Birmingham (falhas de arbitragem). Não penso no Arsenal, falo sobre nós. Queremos somar o máximo de pontos possível. Se acrescentarmos três à nossa contabilidade, ótimo - concluiu.