icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
25/06/2014
07:00

Vincent Enyeama não tem a grife de Obi Mikel e Moses, seus companheiros de seleção nigeriana. Mas é graças a ele que a seleção africana é a única que ainda não foi vazada no Mundial do Brasil. A história do goleiro na competição de seleções é muito mais imponente que a da paparicada dupla do Chelsea. Estreou no torneio contra a Inglaterra em 2002, com apenas 19 anos, e segurou o 0 a 0 na despedida da sua equipe naquela edição.

Porém, seria na disputa de quatro anos atrás que seu nome viraria manchete. Impediu, com quatro defesas dignas de nota, que Messi o vazasse na derrota por 1 a 0 (gol de Heinze). Foi protagonista na seca do camisa 10 argentino em solo sul-africano. Hoje, no Beira-Rio, faz uma reedição do duelo, e, preferindo ignorar seu desempenho passado, dá a receita heterodoxa para vencer.

– Mandar o Messi para a estratosfera, para outro planeta. É o que precisamos para triunfar.

O desempenho defensivo atual da Nigéria tem muito a ver com a capacidade de Enyeama. Titular da meta do Lille, ele passou 11 partidas seguidas sem levar gol na última temporada francesa e recebeu o prêmio Marc Vivien Foé de melhor africano. Se detiver o ataque da seleção platina em Porto Alegre irá assegurar a classificação para as oitavas de final, algo que os Super Águias não conseguem desde 98, na França. No entanto, terá que frear ainda mais Messi, que decidiu para a Argentina nos dois primeiros jogos da equipe, contra Bósnia e Irá. Estragar a festa de aniversário de Lionel, que na última terça-feira fez 27 anos, será um desafio ainda maior. 

      

Goleiro Enyeama não levou nenhum gol nesta Copa do Mundo (FOTO: Jewell Samad/ AFP)

MEMÓRIA DA MURALHA

Em 2002
Com apenas 19 anos, Enyeama foi escalado pela primeira vez em um Mundial contra a Inglaterra, e segurou o 0 a 0 com equipe europeia.

Messi?
Em 2010, impediu com quatro defesas que argentino marcasse o seu na derrota por 1 a 0, tornando-se assim um carrasco do camisa 10.

Na França
Na última temporada, pelo Lille, passou 11 jogos sem sofrer um único gol e recebeu prêmio Marc Vivien Foé de melhor jogador africano.

Invicto
Com Enyeama, a Nigéria é a única seleção que ainda não foi vazada nesta Copa do Mundo. Um empate hoje garantirá a classificação à equipe.