icons.title signature.placeholder RODRIGO CERQUEIRA
16/06/2014
14:53

Centenas de iranianos invadiram Curitiba nesta segunda-feira para o jogo entre Irã e Nigéria, pelo Grupo F da Copa do Mundo do Brasil. Nas cercanias da Arena da Baixada, muita festa, empolgação e gritos de apoio ao país. Numa fila de torcedores em uma das entradas, após cantos tradicionais, vários eles soltaram: "Irã... Brasil... Afeganistão".

O Irã é um inimigo político dos Estados Unidos. Desde que o país invadiu o Afeganistão, em 2001, em busca de terroristas e aliados da Al-Qaeda que promoveram atos de terrorismo no país, teve início uma guerra que deixou milhares de mortos. O então presidente norte-americano George W. Bush chamou um conglomerado de países, que contava com Irã, Iraque, e Coreia do Norte, de Eixo do Mal.

Os iranianos também foram acusados pelos americanos de produzirem armas nucleares e de destruição em massa. Esses episódios deixaram ainda mais tensas as relações entre iranianos e americanos.

Porém, há poucos dias uma informação parece dar um ar de esperança na relação entre os países. Os EUA pretendem conversar com os iranianos sobre a situação que se encontra o Iraque, que sofre com a ofensiva de jihadistas que tomaram o controle da cidade de Tal Afar. Ambos os países poderiam fazer um acordo para a utilização de drones (aviões não tripulados) para tentar combater a violência no local. Informação que não foi confirmada de forma oficial pela Casa Branca.

Iranianos e americanos participam de uma roda de negociações em Viena, na Áustria, sobre o programa nuclear iraniano.

Nas ruas de Curitiba, os iranianos contam com a torcida dos brasileiros. Muitos deles posam para fotos, cantam juntos e confraternizam. O clima é de paz, mesmo com a chegada de nigerianos.