icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/04/2014
11:32

O novo Beira-Rio, um dos 12 palcos da Copa do Mundo que se aproxima, já recebeu dois jogos do Internacional - contra Caxias e Brasil de Pelotas - neste ano, ambos pelo Campeonato Gaúcho. Mas a reinauguração oficial da casa colorada será neste domingo. A partir das 16h, o Gigante receberá o duelo amistoso do Internacional contra o uruguaio Peñarol exatamente 45 anos após o jogo inaugural, diante do Benfica, de Portugal. Jogo para ficar marcado na história do clube e servir de modelo para o Mundial.

O jogo contra o Peñarol de Jorge Fossati - técnico do Inter até as quartas de final da Libertadores de 2010, que seria conquistada pelo Colorado sob o comando de Celso Roth - será o último ato de três dias repletos de celebrações. Na sexta, o Inter completou 105 anos de existência com um jantar comemorativo. Já na noite desta sábado, foi realizado, no Beira-Rio, o espetáculo "Os protagonistas", que contou a história do estádio valorizando os ídolos que marcaram o nome na história colorada nesse período. Logo mais, será a vez de os comandados de Abel Braga deixarem o 6 de abril marcado com um triunfo.

O jogo não vale três pontos, trata-se de um amistoso e será disputado uma semana antes do Gre-Nal decisivo pelo título do Gauchão. Mas Abel, técnico que comandou o Inter nas maiores conquistas do clube - a Libertadores e o Mundial de Clubes, ambos em 2006 - sabe da importância de marcar a reinauguração oficial do Beira-Rio com uma vitória.

- Para nos é a festa, mas você não pode querer colocar no jogador a mesma responsabilidade que uma final de campeonato, um clássico, jogo de Brasileiro. Vamos fazer de tudo para não estragar a festa. Vamos querer a equipe com a mesma seriedade. Nosso aproveitamento no ano tem tido bom. Não importa se é amistoso ou não - disse o treinador, em entrevista coletiva.

Abel só não poderá contar com dois titulares para esse "ensaio" de luxo projetando o Gre-Nal do próximo domingo. O zagueiro Juan e Alex, preservados, serão substituídos por Ernando e Valdívia, respectivamente.

PEÑAROL SEM A FORÇA DE OUTRORA

O Peñarol está marcado na história do Internacional e do Beira-Rio. O time uruguaio fez parte do torneio que marcou a inauguração do estádio, em 1969, sendo goleado por 4 a 0. Em 1989, o Peñarol voltou a cruzar o caminho colorado. Outro massacre colorado, desta vez por 6 a 2. Abel era o treinador do Inter. Já em 2011, o Colorado comandado por Falcão foi eliminado nas quartas de final da Libertadores pela equipe uruguaia em pleno Gigante.

Mas o Peñarol que enfrentará o Inter logo mais está longe de lembrar um dos times mais tradicionais da América do Sul. Os comandados de Fossati ocupam a última posição no Grupo 8 da Libertadores e já estão eliminados. O foco do time está na Campeonato Uruguaio: ocupa a terceira posição no Clausura com 17 pontos. Na sexta, ficou no empate com o Miramar, por 2 a 2. E

Exatamente por conta desse duelo, a tendência é que não tenha força máxima neste domingo. Um dos destaques é o veterano apoiador Pacheco, de 38 anos, que pode ser poupado contra o Inter. Ele soma quatro gols no Campeonato Uruguaio. No elenco ainda está outro veterano: o centroavante Zalayeta, de 35.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL X PEÑAROL

Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Data-hora: 6/4/2013 - 16h
Árbitro: Jean Pierre de Freitas Lima (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Tatiana Freitas (RS)

INTERNACIONAL: Dida; Gilberto, Ernando, Paulão e Fabrício; Willians, Aránguiz, Valdivia, D'Alessandro e Alan Patrick; Rafael Moura - Técnico: Abel Braga.

PEÑAROL: Lerda; Valdez, Darío Rodríguez e Mac Eachen; Albín, Novick, Rodríguez, Nandez e Hurtado; Carlos Núñez e Toledo - Técnico: Jorge Fossati.