icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
13/12/2013
15:03

A confirmação de Abel Braga como treinador do Internacional aconteceu nesta sexta-feira apenas por um motivo: a indefinição de quem seria o ente político no departamento de futebol para o ano de 2014. O técnico assina até o final do ano e ainda não sabe qual será a estrutura que encontrará no vestiário colorado. O vice Marcelo Medeiros tenta arquitetar, em 24 horas, a nova estrutura.

A tendência é que Medeiros, vice-presidente da pasta, algo que deixou de existir no início de 2012, trabalhe com dois diretores abaixo dele. Algo que deve ser confirmado até este sábado. Assim, poderia delegar funções e também dividir responsabilidades de acompanhamento a jogos com os colegas de departamento. Sendo assim, seria Marcelo Medeiros, dois diretores mais o diretor executivo.

A continuidade de Roberto Melo, assessor de Medeiros durante a temporada, não está definida. Um dos dirigentes a deixar o futebol colorado, Eduardo Hausen, elogiou muito o colega de posto e defendeu a permanência do dirigente. Medeiros não confirmou nenhum nome do departamento, além dele e de Newton Drummond, o diretor executivo.

- Ainda não sei qual será a formatação do futebol. Ainda preciso analisar e fazer alguns convites. Este ano trabalhamos com dois diretores e dois assessores. Penso em trabalhar como vice de futebol, com outros dois diretores, mais o nosso executivo, que é o Newton Drummond, que permanece. Mas ainda não sei se será possível, espero em 24 horas conseguir definir esta questão - disse Medeiros ao LANCE!Net.

No início da semana, Luís Cesar Souto de Moura, que dividia o comando do departamento de futebol com Medeiros em 2013, pediu exoneração do cargo de diretor de futebol. Assim, seu assessor, Eduardo Hausen, também deixa a diretoria do clube. Ambos pertencem ao Coração Colorado, grupo político que foi decisivo na última eleição do presidente Giovanni Luigi, sem passar pelo associado, apenas dentro do Conselho Deliberativo do colorado.