icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/11/2013
08:00

A campanha de 2013 está abaixo do esperado. O Internacional, na 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, é o décimo colocado, com 42 pontos. Praticamente alijado da briga pela Copa Libertadores da América, o Colorado decepcionou torcida e opinião pública, que depositavam confiança e elogios sobre o elenco alvirrubro antes e no início do Brasileiro. Para piorar, a campanha está abaixo da de 2012, ano assumidamente ruim.

Durante os últimos meses, ainda sob o comando de Dunga, em diversas oportunidades o próprio treinador ou o meia D'Alessandro, principal líder do elenco, citaram 2012 como um ano com tudo errado para minimizar a "crise" desta temporada. Pois no último Campeonato Brasileiro, com todos os problemas reiterados, a campanha era melhor.

Na 31ª rodada, o Colorado foi derrotado pelo Figueirense, em casa, por 3 a 2. Permitiu a virada nos últimos minutos. Acabou em sexto, na oportunidade, com 45 pontos. Hoje, após, perder para o São Paulo, também por 3 a 2. Curiosamente, o carrasco é o mesmo: o atacante Aloísio, que marcou dois gols para os catarinenses em 2012 e fez três no último domingo.

- É frustrante. Se traçamos um objetivo e não conseguimos, é frustrante. Mas é o trabalho. Temos que cotinuar, de cabeça erguida, determinação e vontade não faltou para ninguém em nenhum momento. Onde poderíamos ter ganho alguma partida, de repente empatamos. Mas acontece no Brasileirão. Quanto mais você soma pontos, mais se distancia dos que estão embaixo e busca o G4 e o título - comentou o camisa 2 Gabriel, que não estava na campanha do último ano.

O elenco colorado passou por mudanças. O time titular da partida de 2012 teve: Muriel; Edson Ratinho, Rodrigo Moledo, Juan e Fabrício; Ygor, Guiñazú e Fred; Cassiano, Leandro Damião e Dagoberto. Contra o São Paulo, a escalação de Clemer teve Muriel; Gabriel, Jackson, Juan e Kleber; João Afonso, Jorge Henrique, Alex, D'Alessandro e Otávio; Leandro Damião.

O Colorado tenta uma espécie de redenção nas últimas sete rodadas do Brasileiro. A ideia é terminar com "honra e dignidade" a competição. Além disso, os dirigentes afirmam que usarão os jogos para fazer uma avaliação do elenco visando ao ano de 2014 - somado, claro, com o que foi visto no restante da temporada.