icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/04/2014
10:03

O roteiro tem sido parecido nos últimos anos. O Internacional começa a temporada bem, tem nomes de respeito no cenário nacional no elenco, mas acaba os anos lamentando estar alijado da disputa do título brasileiro. Com a conquista do Gauchão de 2014, o primeiro passo foi dado. Mas o discurso é uníssono quando garante que a história será modificada daqui para frente.

A história se repete desde 2011. Neste ano, o Colorado foi campeão gaúcho virando a final sobre o Grêmio, comandado por Falcão. Logo depois, o ídolo foi demitido e Dorival Júnior foi contratado. Conseguiu levar o Inter até à classificação para a Libertadores. Mas no ano seguinte, acabou eliminado para o Fluminense, nas oitavas. No Brasileirão, acabou no meio da tabela, com Fernandão, ex-diretor, no comando.

Em 2013, Dunga foi contratado. O Inter não tinha outra competição a focar no início da temporada e foi campeão gaúcho antecipado. Mas caiu na Copa do Brasil para o Atlético-PR nas quartas de final. Terminou o ano com Clemer como treinador e brigando para não ser rebaixado no Brasileirão.

- O que conversamos agora é que não vai ficar por aí. O ano não terminou para o Inter. Foram quatro meses de trabalho, coroados hoje em 90 minutos. Mas não podemos ficar por aqui. Temos muito mais coisa para conquistar, se vamos chegar não sei, mas que o torcedor vai sair de cada jogo com a convicção plena que nós vamos suar sangue - garantiu o técnico Abel Braga.

O comandante colorado também aproveitou para exaltar o presidente Giovanni Luigi, constantemente criticado pelos torcedores. Luigi foi vice de futebol de Abel em 2007 - era dirigente do setor administrativo do clube nos anos anteriores, além de assessor de futebol. Para o treinador, o mandatário colorado merece mais do que o título gaúcho.

- Acho que conseguimos em duas semanas coisas muito importantes, foi a vitória na Arena, dois dias consecutivos com 50 mil no Beira-Rio, e para terminar a semana um título contra o grande rival. Mas é pouco. Principalmente para uma pessoa chamada Giovanni Luigi Disse isso na frente dos jogadores. Conheci como diretor de finanças, como vice de futebol e agora presidente. Merece o que o Fernando Carvalho e o Vitório Piffero conquistaram. O que estou dizendo é o que pensa o Vitório e o Fernando. Não vai parar - completou o treinador.

O Inter terá a segunda-feira de folga para comemorar o título. A terça também será de comemoração: do meia D'Alessandro. O próximo adversário será o Vitória, no sábado.


Internacional goleia Grêmio e fatura o Campeonato Gaúcho