icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2014
08:03

O legado da Copa do Mundo no Internacional não vai parar no Beira-Rio reformado. Em campo, os jogadores também querem colocar em prática o que foi visto na competição. O principal é o foco no jogo coletivo e em alguns sacrifícios pessoais pelo bem da equipe.

O título da Alemanha, com um projeto de longo prazo e sem um grande craque que centralizasse as ações acabou representando este estilo. Mas seleções menores, que tiveram sua virtude na marcação, também viraram exemplo;

- Ficou comprovado mais do que nunca que uma equipe é feita de não só 11 jogadores. Que o coletivo vale mais que o individual, é meu pensamento. A tendência é que a equipe como um todo que chegar mais forte vença. Dificilmente teremos o que tivemos antigamente, que um jogador desequilibrava os 7 jogos e levava ao título. O trabalho de equipe que todo mundo ajuda a defender e atacar conta mais que o individual - comentou o zagueiro Juan, que disputou as Copas de 2006 e 2010.

O Inter terá uma ausência importante - e que só será suprida justament com o jogo coletivo - no retorno ao Brasileirão, nesta quarta, contra o Corinthians. Aránguiz não atuará. O volante João Afonso será o substituto do chileno, que esteve na Copa com o Chile.

- O Aránguiz é importante, de seleção, sabe se posicionar em campo, nos ajudou várias vezes nos jogos para fazer gol, principalmente o Rafael Moura, que estava entrosado ali no lado direito. Mas temos uma equipe forte, mesmo com o desfalque do Aránguiz. Entrou o Jorge Henrique, teve Alex, teve o Valdívia. Isso faz prevalecer a força do grupo - disse o lateral Fabrício.

O Colorado volta a treinar na tarde desta quarta-feira, às 14h30, antes da viagem para São Paulo, onde enfrentará o Corinthians, no Itaquerão.