icons.title signature.placeholder Michel Castellar
22/02/2015
16:07

De segunda até quarta-feira, a organização dos Jogos de 2016 será revisada pela Comissão de Coordenação do Comitê Olímpico Internacional, em um hotel da Zona Sul. Antes do trabalho, os avaliadores foram se divertir no Sambódromo, durante o desfile das Escolas de Samba Campeãs do Carnaval, na noite de sábado.

Entre as principais preocupações do COI estarão a despoluição da Baía de Guanabara e das Lagoas da Barra da Tijuca. O governador, Luiz Fernando Pezão, já admitiu que a meta de 80% de tratamento dos esgotos despejados na baía poderá não ser atingida.

Outro problema que desperta a atenção são as obras do metrô. Mas o secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, vai garantir que a extensão entre a Zona Sul e a Barra estará concluída antes dos Jogos.

No contexto político, o novo ministro do Esporte, George Hilton, participará pela primeira vez dos encontros com o COI. Além de sua presença, é esperado que o nome do novo presidente da Autoridade Pública Olímpica (APO), autarquia que realiza a coordenação das ações dos entes públicos para os Jogos, seja confirmado.

Nem só de problemas vive a organização dos Jogos. O COI conhecerá o rascunho das Cerimônias de Abertura e Encerramento. Outro ponto positivo será a informação de que a Vila Olímpica atingiu 70% de sua conclusão.

__________________

Cinco prós da organização Rio-2016

- Elaboração das Cerimônias de Abertura e Encerramento dos Jogos

- Obras da Vila Olímpica atingiram 70% de conclusão

- Ritmo das obras do Complexo Esportivo Deodoro

- Atualização e definição da matriz de Responsabilidades

- Lançamento do revezamento da Tocha Olímpica


Cinco problemas da organização Rio-2016

- Despoluição da Baía de Guanabara

- Vacância do cargo de presidente da Autoridade Pública Olímpica

- Conclusão da Linha 4 do metrô

- Obras do velódromo

- Baixo interesse na aquisição de ingressos