icons.title signature.placeholder Marcio Porto
19/06/2014
16:21

Nem mesmo o chamado padrão Fifa de organização é capaz de coibir as ações de cambistas em jogos da Copa do Mundo. Antes da partida entre Uruguai e Inglaterra, nesta quinta-feira, na Arena Corinthians, a reportagem do LANCE!Net presenciou a ação de vários. Três ingleses suspeitos da prática foram detidos pela Polícia Militar e se revoltaram contra a ação das autoridades. Eles passaram quase uma hora e meia prestando depoimento e, por falta de provas, foram liberados.

No momento da abordagem, os três suspeitos portavam apenas dois ingressos e estavam sem documentos pessoais. Eles deram os seguintes nomes: Kelly Baranski, 39 anos; John Nobrega, 47 anos e Mat Chilcolt, 42 anos.

Apesar da diferença de ingressos, segundo eles, mesmo assim conseguiram passar na triagem montada pela polícia para não permitir a aproximação de torcedores sem entradas. Eles alegaram que comunicaram a situação aos oficiais e foram liberados.

- É um absurdo passarmos por isso. Estamos esperando nossos amigos. Não fizemos nada - disse John.

A alegação dos suspeitos era de que dois parentes iriam chegar com mais três ingressos. Eles passaram isso em depoimento. No entanto, alegaram não ter contato telefônico com os conhecidos e iriam esperá-los em um ponto de encontro do estádio.

Depois de cerca de uma hora e meia, foram liberados. Delegado titular do posto improvisado da Polícia Civil montado para a Copa na Etec, anexa à Arena, Igor Vilhora explicou o motivo.

- Eles têm dois ingressos e nada que caracterize algo ilícito. Nenhuma testemunha presente. Estão com bastante dinheiro, mas isso não é ilegal, alegaram que são turistas - afirmou, à reportagem.

Isso poderia ter sido esclarecido por um voluntário do Comitê Organizador Local, credenciado como Gabriel Nicoleti. Foi ele quem reportou aos policiais a suposta ação ilegal dos ingleses. De acordo com o voluntário, ele presenciou o momento em que os três efetuaram a venda de um bilhete para um torcedor.

O voluntário disse ainda possuir imagens da infração, mas não as passou aos policiais, que reclamaram.

- Realmente, temos encontrado dificuldade na comunicação com o COL e a Fifa e ficamos de mãos atadas muitas vezes. Por que ele não trouxe as imagens aqui? - declarou Igor.

O membro do COL fez o relato e recomendou que as autoridades encaminhassem os suspeitos ao posto policial. A reportagem do LANCE!Net acompanhou o trajeto. Os ingleses tinham dificuldade para se comunicar com os policiais, que não falavam inglês.

Ao todo, até o início da partida, a Polícia Civil tinha registrado cerca de 20 ocorrência, a maioria de supostos furtos de ingressos. Uruguaios, ingleses e brasileiros fizeram boletins de ocorrência reclamando. Eles apresentavam os documentos a funcionários da Fifa tentando reaver os ingressos. De acordo com os policiais, muitos não conseguiam.