icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2014
11:50

Enquanto alguns clubes europeus gastam milhões em reforços, há quem passe por dificuldades para simplesmente conseguir um time para disputar a temporada. Este é o caso do Blackpool, da Segunda Divisão inglesa, que tem neste momento apenas 12 atletas confirmados em seu elenco. A equipe estreia na competição no próximo dia 9 de agosto, contra o Nottingham Forest.

A situação caótica do clube, que há três temporadas esteve na Premier League, se deve ao proprietário. Karl Oyston é acusada pelo presidente do Blackpool, Valeri Belokon, de ter desviado 34 milhões de libras (cerca de R$ 132 milhões) do clube para suas empresas. A maior parte desta quantia seria de um fundo pago pela Premier League a clubes recém rebaixados.

Com poucos jogadores, o clube teve de cancelar a pré-temporada que faria na Espanha. No último fim de semana fez um amistoso contra o Penrith, da Nona Divisão inglesa, contando com a "ajuda" de cinco jogadores que ainda estão em período de testes. Outro detalhe curioso é que nenhum dos 12 atletas que o clube já tem é goleiro.

- Dos jogadores que temos registrados, somente dois ou três foram titulares na temporada passada. É uma situação ridícula. Toda vez que eu penso que as coisas não podem piorar, elas pioram - disse Tim Fielding, presidente do Blakcpool Supporters Trust, um grupo de torcedores do clube.

Enquanto todos culpam Karl Oyston, este aponta o dedo para o técnico José Riga. Segundo o proprietário do Blackpool, os jogadores pedidos pelo treinador eram muito caros e ele não pretendia inflacionar a folha salarial.

Até o momento o Blackpool contratou para a próxima temporada cinco jogadores: O zagueiro Peter Clark, ex-Huddersfield; o volante costarriquenho Cubero, ex-Herediano; os meias Mellis e Cywka, ambos provenientes do Barsnley; e o atacante estoniano Zenjov, ex-Karpaty Lviv.