icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Sérgio Arêas
19/11/2013
08:29

Ao decidir pela demissão de Vanderlei Luxemburgo, os dirigentes tricolores chegaram a ter conversas com Paulo Autuori, que treinou o Vasco e o São Paulo neste Brasileiro. Conforme o LANCE!Net apurou, a negociação, porém, não avançou, porque a diretoria preferiu Dorival Júnior pelo perfil motivador, algo que o Flu necessitava naquele momento. O nome de Dorival foi sugerido pelo diretor executivo, Rodrigo Caetano, que já tinha trabalhado com o comandante no Vasco e deu boas referências.

Rodrigo Caetano, inclusive, foi o grande entusiasta da contratação de Dorival e convenceu a cúpula de futebol que era uma boa opção, mesmo vindo de uma demissão no Vasco, deixando o arquirrival na zona de rebaixamento da competição.

A opção pelo técnico, recém-demitido do Vasco, foi prontamente aceita pela cúpula de futebol tricolor, que logo entrou em contato, gostou da conversa e das intenções do treinador, fechando os detalhes do acordo, ainda por telefone mesmo. Dorival, acertou com o Fluminense, por telefone, na segunda-feira à noite, e assinou o contrato na terça-feira pela manhã, quando desembarcou no Rio de Janeiro, vindo de Florianópolis, local que possui residência fixa. 

Além de só estar pensando na atual temporada, o Fluminense também aguarda as eleições presidenciais, que ocorrem no próximo sábado, para finalizar o planejamento para 2014, algo que já vem sendo debatido internamente. A diretoria irá discutir as renovações contratuais de alguns jogadores, juntamente com a permanência ou não de Dorival no cargo, até mesmo pelo pleito, já que sem uma decisão de quem será o presidente pelo próximo triênio (2014-2015-2016), o comandante não pode ser garantido para o próximo ano. Deley é quem concorre com Peter Siemsen.

O que tem animado os dirigentes e que pode contar como ponto positivo para uma possível renovação com Dorival, é a forma como o treinador conquistou o grupo. O técnico vem sendo avaliado e seu começo de trabalho tem agradado a todos dentro do clube, principalmente os jogadores. O vínculo do comandante é até o fim do ano e a negociação sobre renovação ainda não entrou em pauta.