icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
13/11/2013
08:02

– É duro escutar que sou caro, que estou velho...

Léo não esconde a chateação com a diretoria do Santos. Está incomodado com o fato de não ter seu contrato renovado – pelo menos por seis meses – e ter de encerrar a carreira a contragosto em dezembro. Também ficou magoado por receber a notícia por meio de seu advogado e não “olho no olho”, em setembro, em meio ao Brasileirão.

Por outro lado, ainda está indeciso em relação a diversos assuntos. Não descarta realizar um jogo de despedida, nem mesmo em trabalhar no clube caso seja convidado. Porém, uma coisa já é certa: participará ativamente da política alvinegra a partir do ano que vem.

O sonho do ex-lateral e hoje meia é ser presidente do Peixe, mas não será possível estatutariamente em 2014. Mesmo assim, Léo já está mantendo contatos nos bastidores, embora diga que ainda não saiba se irá ser opositor ou não ao atual presidente santista, Odílio Rodrigues.

Enquanto esse momento não chega, o veterano de 38 anos se recupera de cirurgia no joelho direito já ciente de que não jogará mais partidas oficiais pelo Santos.

– Olha como fica a minha cabeça: vou treinar me preparando para quê? Sou profissional, seguirei indo ao CT. Poderia ir a outro clube, tenho mercado, mas não vou pela minha identificação – disse, ao L!Net.

Léo evita criticar os dirigentes santistas, mas deixa claro que discorda da postura deles e confirma que está descontente. No entanto, ao L!Net, por mais de uma vez prometeu dar uma entrevista coletiva em breve e falou:

– Sei de muita coisa, fico sabendo de tudo que acontece nos bastidores, mas filtro, guardo pra mim. Uma hora vou falar tudo.

Maior campeão depois da era Pelé com oito títulos, Léo fez 31 partidas neste ano e apenas um gol.


Bate-Bola com Léo, meia do Santos, ao LANCE!Net

Acha que teria condições de jogar bem por mais uma temporada?
Não digo um ano, pelo menos um paulista. Em 2013, machuquei no meu melhor momento. Mas os números mostram, quando eu joguei, o time foi bem e venceu.

Alguém falou com você?
Não, só com meu advogado. Além disso, foi no meio do campeonato. E como fica a motivação?

Por que acha que não ficará?
Hoje no Santos tudo é custo-beneficio. Respeito o presidente, o Comitê, mas discordo. Vale lembrar também que abri mão dos meus direitos de imagem quando operei o joelho e que em todas as minhas renovações eu baixei o salário, nunca aumentei. É que antes era com o Luis Alvaro, agora é o Odílio.

Será oposição na eleição?
Não sei, ainda estou ouvindo pessoas mais experientes, pegando conselhos... Mas conheço o clube como a palma da minha mão.

Aceitaria trabalhar no clube?
Será que seria bom para o clube? Me procuram em setembro pra falar que eu não fazia parte. Será que em dezembro eu farei? Mas estou pronto para uma conversa olho no olho com a diretoria, espero eles.