icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/02/2015
21:09

Um Campeonato Argentino "inflado", com 30 clubes e de longa duração. Um dos últimos pedidos de Julio Grondona começará a ser atendido nesta sexta-feira. Morto em julho do ano passado, o ex-presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino) deu o primeiro passo na mudança do formato do torneio nacional.

Para que o sonho de Grondona fosse concretizado, os 20 clubes da elite argentina disputaram, no segundo semestre do ano passado, um torneio de transição. Não houve rebaixamento e dez ascenderam à Primeira Divisão, entre eles, o pentacampeão Huracán e o Argentinos Juniors, último time do meia Riquelme.

E MAIS
HOME: Veja as últimas notícias do futebol internacional
Jornal afirma que Cristiano Ronaldo pode deixar o Real

O Racing foi o grande vencedor do Torneo de Transición e colocou ponto final num jejum de 13 anos sem títulos. Com o caneco, o time de Avellaneda conseguiu vaga na Libertadores.

As mudanças propostas por Grondona não param por aí. Neste ano, dois serão rebaixados e dois subirão. Já no primeiro semestre de 2016, haverá outro campeonato de transição para adequar de vez a Argentina ao calendário europeu. Nele três caem e apenas um ascende à divisão principal. A ideia é que a temporada 2018/2019 tenha 24 equipes.

Em campo, o Boca Juniors desponta como o grande favorito pelas contratações de impacto, como Lodeiro e o ítalo-argentino Osvaldo. O River Plate tentará acabar com a euforia dos xeneizes com o colombiano Teo Gutiérrez. Já o Racing vem enfraquecido pela saída de Centurión para o São Paulo.