icons.title signature.placeholder Daniel Bortoletto, Igor Siqueira e Thiago Correia
15/06/2014
15:47

A torcida da Argentina, que está por todo o Rio de Janeiro, não faz a menor questão de esconder a euforia para esta Copa do Mundo, a começar pela estreia neste domingo, contra a Bósnia, no Maracanã. A imprensa hermana, que está presente com força no centro de imprensa do estádio, também demonstra otimismo, mas com uma certa cautela.

A maior parte da imprensa do país vizinho coloca a seleção no patamar de favorita, mas lembra que está um degrau abaixo de Brasil, principalmente por ser o anfitrião da Copa do Mundo, e Alemanha, que na visão deles, chega com a seleção mais forte. De acordo com Federico Jelic, repórter do "La Mañana de Córdoba", a Argentina está um degrau abaixo, e faz uma análise da equipe.

- Brasil e Alemanha estão na frente. Espanha estava lá, mas depois do que aconteceu na partida contra a Holanda... O ponto forte da Argentina, claro, é o ataque. Temos o melhor jogador do mundo (Messi), e outros como Agüero, Di María e Higuaín, além de boas opções como Lavezzi e Palacio - analisou o repórter, que falou ainda sobre a defesa, conhecida como ponto fraco:

- Alejandro Sabella busca o equilíbrio. O ataque é poderoso, e a defesa não é tão fraca assim como se fala. O problema é que não tem uma referência como no passado. Tivemos grandes craques no setor, como Passarela e Rugeri. Hoje temos bons jogadores, mas falta esse homem que chame a responsabilidade.