icons.title signature.placeholder Marcio Porto e Thiago Ferri
25/04/2014
17:14

O São Paulo tem seus trunfos para seduzir Alan Kardec e tirá-lo do rival Palmeiras. O time do Morumbi já entrou em acordo com os representantes do centroavante, que receberá R$ 300 mil mensais em caso de acerto com o Tricolor, e aposta na crise atual entre o estafe do atleta e o Verdão. Outro fator usado pelos são-paulinos é um bônus oferecido ao Benfica (POR), que faturaria 10% do valor de uma negociação do goleador no futuro (a proposta aos portugueses, porém, o Alviverde já avisou que iguala).

O acordo salarial de Kardec com o São Paulo foi apalavrado na tarde da última quinta-feira, quando um dos empresários do atleta se reuniu com dirigentes tricolores no CT da Barra Funda. O Verdão esteve perto de selar a negociação por R$ 220 mil mensais e contrato de cinco anos com cláusula de produtividade, mas o presidente Paulo Nobre recuou de última hora pedindo redução e gerando nova crise com o estafe do atleta.

O ponto que gera, agora, um impasse os palmeirenses é o fato de o clube não ter pré-acertado as bases salariais de Kardec, em caso de renovação, no momento em que firmou o contrato por empréstimo no ano passado (tal prática é comum em negociações assim). Pelo documento assinado, o Palmeiras deveria desembolsar 6 milhões de euros (R$ 18,6 milhões) até o dia 31 de maio de 2014 para ficar com o jogador. Mas não há documento com um salário pré-acertado, já com uma valorização, o que deixa a definição nas mãos do estafe do atleta neste momento. O Verdão só pode pagar o Benfica e exigir sua preferência quando acertar um novo contrato com Kardec. Em um acerto verbal entre as diretorias, a compra poderia ser feita por 4 milhões de euros (R$ 12,5 milhões) nos últimos dias.

Reveja os gols do artilheiro Alan Kardec no Paulistão

No último mês, Palmeiras e estafe de Kardec tiveram diversas reuniões para tentar o acordo salarial, mas as partes não chegaram a um consenso. Diante do aumento da insatisfação dos representantes do jogador, o São Paulo deu início à investida pelo artilheiro do rival no ano e ofereceu ao Benfica 4,5 milhões de euros (R$ 13,7 milhões).

Notificado da proposta são-paulina, o Verdão igualou os valores oferecidos pelo Tricolor. Neste processo, a diretoria alviverde pediu aos lusos a apresentação dessa oferta, além da notificação oficial enviada. Isso ainda não ocorreu. Dentro do Palmeiras, há preocupação em relação à permanência de Kardec. Um diretor chegou a comentar que a situação está "muito, muito complicada". O pai do atacante, seu representante, também tem dificultado os contatos com a cúpula palmeirense nos últimos dias.