icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2013
13:18

Foram três temporadas no Porto, 39 gols em 92 jogos, e oito títulos. Em pouco tempo, o brasileiro Derlei conseguiu colocar o seu nome na história do clube, e ele foi visitar o local que materializou tudo isso. Nas festas do 120º aniversário do Dragão, foi inaugurado um museu, e o eterno "Ninja" esteve lá nesta quarta-feira para relembrar o que conquistou.

- Olho para este museu e fico com um sentimento de dever cumprido. É um orgulho indescritível estar eternizado na história de um clube com a grandeza do Porto, em um espaço maravilhoso como este. É o reconhecimento de todo um trabalho que culminou com grandes conquistas - disse o ex-atacante no Museu do FC Porto by BMG, que lembra que, apesar de ter jogado ainda no Benfica e no Sporting, foi o Dragão que o conquistou:

- Foi o Porto que deu a conhecer o Derlei ao mundo do futebol e, por isso, devo muito a este clube. Foi no Porto que aprendi a viver e a sentir verdadeiramente o futebol e a paixão dos torcedores, que realmente são especiais. Ainda hoje sinto o carinho deles quando venho aqui.

Entre os momentos inesquecíveis de Derlei estão os gols na final da Taça Uefa (atual Liga Europa) contra o Celtic, em 2003, e o que fez na semifinal da Liga dos Campeões de 2004, contra o La Coruña, na temporada em que o Porto foi campeão europeu. Por isso, ele lembra com força estes momentos.

- Por tudo o que aprendi, vivi e conquistei, é natural que o Porto seja o clube mais especial que representei em toda a minha carreira. Dividi o vestiário com grandes figuras do clube, como o Vítor Baía e o Jorge Costa, e assimilei aquilo que é a cultura e a mística do Porto. Sinto-me parte desta família e não tenho palavras para descrever o orgulho que sinto em ter contribuído para algumas das maiores conquistas da história deste clube