icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
10/04/2014
01:27

Após a eliminação do Botafogo da Copa Libertadores da América, o técnico Eduardo Hungaro não quis falar sobre seu futuro no clube. Na opinião dele, o trabalho iniciado em janeiro tem previsão para término em dezembro, já que tem contrato de um ano. Na entrevista coletiva depois da derrota por 3 a 0 para o San Lorenzo, nesta quarta-feira, em Buenos Aires, no estádio Nuevo Gasómetro, o treinador preferiu desconversar sobre uma possível demissão.

- Essa pergunta (possível demissão) tem que ser feita para a direção. Não tenho como responder isso. Fui contratado para trabalhar em 2014. O resultado não foi bom. Em função do que programamos, esperava passar de fase. Acho que ainda estamos iniciando. Sabíamos, em função do elenco que temos, que haveria dificuldades. Em alguns momentos fomos extremamente competitivos. Foi nosso oitavo jogo, e realmente não revelamos o trabalho que estamos desenvolvendo. Temos limites, mas sempre nos mostramos competitivos - disse Hungaro.

Com a derrota para os argentinos, o Botafogo terminou a sua participação na Copa Libertadores na última posição do Grupo 2 com sete pontos. Os salários atrasados, que nos últimos dias levaram o elenco alvinegro a protestar contra a diretoria, não foi visto por Hungaro como problema para a derrota e eliminação na Libertadores.

- Não tem relação. Não faltou motivação. Fica esta impressão para quem não está ligado ao trabalho diário - garantiu Hungaro, ressaltando a superioridade do adversário no jogo da noite passada:

- Temos que reconhecer a superioridade do adversário. Este grupo quando entra em campo esquece tudo isso.

Com a greve geral convocada pela classe trabalhadora argentina para esta quinta-feira, o voo da delegação do Botafogo, previsto para esta manhã, pode não acontecer.