icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/11/2014
07:02

Dono da pior campanha do segundo turno do Brasileiro, o Botafogo teve bom rendimento em poucas ocasiões e venceu apenas três jogos dos últimos dez que disputou. O que chama atenção é que em duas destas três vitórias – sobre Corinthians e Flamengo – o time foi a campo com três volantes entre os titulares.

Na derrota diante do Atlético-PR, sábado, o técnico Vagner Mancini optou pela escalação com três jogadores de grande vocação ofensiva – Murilo, Yuri Mamute e Jobson. Como o próximo jogo é o clássico diante do Fluminense, no sábado, às 19h30, no Maracanã, a tendência é a de que o time entre com três volantes, pela diferença entre eles na tabela do Brasileirão.

E MAIS
> Bruno Corrêa revela teor da conversa entre jogadores e comissão técnica
> Bruxa solta no Botafogo: Rodrigo Souto é o novo desfalque
> Reunião entre elenco e comissão técnica do Botafogo dura cerca de duas horas

O técnico Vagner Mancini, após a derrota para o Furacão, sábado, em Volta Redonda, sinalizou com mudanças para o clássico. Muitas por lesões ou suspensões, como as saídas de Rodrigo Souto e Junior Cesar, respectivamente. Mas elas também podem ocorrer na parte tática, com a entrada de Andreazzi ou Bolatti no lugar de um dos três atacantes.

E mesmo sabendo que a escalação de três volantes diminui as vagas no ataque, o centroavante Bruno Correa defende esse esquema.

– Temos que jogar um pouco mais fechadinhos, para sair no contra-ataque. Mas Mancini sabe o que está fazendo. Temos que confiar no time, independentemente de como entrar. Vamos conquistar o resultado positivo diante do Fluminense, seja com três atacantes ou três volantes – disse o atacante, demonstrando otimismo.

Antes da atividade desta terça-feira, no campo principal do Engenhão, o elenco se reuniu por aproximadamente duas horas. Na pauta, cobranças pela vitória no Clássico Vovô. Questionado sobre a reunião, Bruno Correa falou que o time "quando quer, vence". Uma frase curiosa, tendo em vista que o Alvinegro conseguiu apenas nove vitórias em 33 jogos no Campeonato Brasileiro.

– Foi uma cobrança entre nós. Sabemos das nossas condições e das qualidades. Quando a gente quer, conseguimos vencer. Foi assim contra Flamengo e Corinthians – disse Bruno.

Quem dera fosse fácil assim...