icons.title signature.placeholder Walace Borges
13/06/2014
17:52

Difícil achar uma pessoa no mundo que sequer sonhou com um resultado entre Espanha e Holanda tão incrível como o desta sexta-feira. Com uma goleada de 5 a 1, a Laranja Mecânica lavou a alma na Arena Fonte Nova e se vingou da derrota na final da Copa do Mundo de 2010. Van Persie (duas vezes), Robben (duas vezes) e De Vrij foram os responsáveis pelos gols que humilharam a Fúria logo no primeiro jogo do Mundial.

O que deu mais motivos ainda para a Holanda comemorar foi o fato de o resultado ter saído de uma virada. Nem mesmo o gol de pênalti marcado por Xabi Alonso foi suficiente para que os comandados de Louis Van Gaal esmorececem. A Laranja Mecânica vem com tudo e a Fúria está completamente aturdida. Não dá para apostar em nada!

MAIS UM LANCE DUVIDOSO NA COPA E UM GOLAÇO

O primeiro tempo de Espanha x Holanda teve uma coisa idêntica aos outros jogos da Copa do Mundo até aqui: um lance muito polêmico da arbitragem. Aos 26 minutos do primeiro tempo, Diego Costa recebeu lindo passe de Xavi e caiu na grande área. Ficou a dúvida: De Vrij realmente derrubou o atacante espanhol? Como Xabi Alonso não tem nada com isso, abriu o placar de um jogo tecnicamente bom até então.

Com dois gols, Van Persie foi o grande nome da Holanda na partida (Foto: Dimitar Dilkoff/ AFP)

Mas, guerreira que é, a Laranja Mecânica não se deu por vencida e igualou as ações. Antes do tento espanhol, no entanto, Sneijder já havia perdido uma grande chance de abrir o placar. Mas foi o capitão, artilheiro e referência do time, Robin Van Persie, que tratou de marcar um lindo gol. Após lançamento longo de Blind, ele, de peixinho, encobriu Casillas e igualou a partida aos 43 minutos. Um duro golpe para a Fúria, mas um lance que deu motivação para o baile que estava por vir.

HOLANDA LAVA A ALMA E GOLEIA A FÚRIA

O segundo tempo mal começou e Robben mostrou que estava muito diferente do jogador que era em 2010. Na ocasião, o holandês saiu cara de cara com o gol e foi parado por Casillas. Quatro anos depois, mais precisamente aos sete minutos da segunda etapa, o mesmo camisa 11 voltou a se ver frente a frente com o goleiro espanhol após outro lindo lançamento do lateral-esquerdo Blind. Mas desta vez a bola teve um destino diferente, morrendo no fundo do gol. 2 a 1 para a Holanda, que nunca desistiu de surpreender os atuais melhores do mundo.

Robben repetiu duelo com Casillas, mas levou a melhor (Foto: Dimitar Dilkoff/ AFP)

Embalada pelos dois gols em pouco tempo, a Laranja Mecânica continuou em cima da Fúria e foi recompensada. Na marca de 20 minutos, após falta cobrada por Sneijder da esquerda, De Vrij contou com falha de Casillas (que reclamou falta de Van Persie no alto) para ampliar o placar para 3 a 1. No lance seguinte, curiosamente, a Espanha ainda teve um gol bem anulado com David Silva.

E quem achava que a vitória acachapante da Holanda acabaria por aí, enganou-se. Após falha grotesca de Casillas, a Laranja Mecânica ampliou aos 27 minutos com outro gol de Van Persie. Depois disso, não tirou o pé do acelerador e aos 35 minutos Robben fez o quinto. A derrota na final da Copa do Mundo de 2010 foi vingada, a alma foi lavada e a Holanda está com sangue nos olhos para continuar em alta!

FICHA TÉCNICA
ESPANHA 1 X 5 HOLANDA

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data/Horário: 13/6/2014, às 16h (Horário de Brasília)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
Assistentes: Renato Faverani (ITA) e Andrea Stefani (ITA)
Cartões amarelos: De Guzmán, Van Persie e De Vrij (HOL)

GOLS: Xabi Alonso, 26'/1ºT (1-0); Van Persie, 43'/1ºT (1-1); Robben, 7'/2ºT (1-2); De Vrij, 19'/2ºT (1-3); Van Persie, 27'/2ºT (1-4) e Robben, 35'/2ºT (1-5)

ESPANHA: Casillas, Azpilicueta, Sergio Ramos, Piqué e Jordi Alba; Busquets, Xabi Alonso (Pedro, 17'/2ºT), Xavi, Iniesta e David Silva (Fabregas, 33'/2ºT); Diego Costa (Fernando Torres, 17'/2ºT). Técnico: Vicente del Bosque.

HOLANDA: Jasper Cillessen, Daryl Janmaat, De Vrij (Veltman, 31'/2ºT), Ron Vlaar e Bruno Martins Indi; De Jong, Daley Blind e De Guzmán (Wijnaldum, 17'/2ºT); Sneijder, Robben e Van Persie (Lens, 33'/2ºT). Técnico: Louis Van Gaal.