icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
22/06/2014
10:32

A Mercedes, de fato, corre em outra categoria. Mesmo largando em terceiro, com Rosberg, e nono, com Hamilton, a equipe conseguiu dominar o GP da Áustria e não deu chances a uma vitória de Massa, que largou na pole. O alemão Nico Rosberg, líder do campeonato, conquistou mais uma vitória e estendeu sua vantagem na tabela de pontos.

Em segundo lugar, chegou seu companheiro de equipe, o inglês Lewis Hamilton, seguido pelo finlandês da Williams, Valtteri Bottas. Massa, que largou na pole, terminou na quarta colocação, seguido de perto por Fernando Alonso, da Ferrari.

O mexicano Sergio Pérez, com uma boa estratégia de corrida, recuperou-se da punição (largou em 16º) e fechou a corrida em sexto lugar, seguido pela McLaren de Kevin Magnussen e o australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull. Nico Hulkenberg, da Force India, foi o nono, enquanto Kimi Raikkonen, da Ferrari, fechou o top 10 da prova.

- O problema foi na primeira parada, não sei o que aconteceu, mas eu voltei numa posição difícil, com o Rosberg muito próximo. Perdi muito tempo naquela volta e a chance de brigar pelo pódio. Na frente das Mercedes não ia ser fácil, mas o pódio seria possível. Mas ainda assim, fico feliz pelo resultado, feliz pela equipe e pela corrida que a gente fez - comentou Massa, à TV Globo.


Felipe Massa parabenizou Valtteri Bottas, ainda que pudesse ocupar o terceiro lugar do companheiro(Foto: Samuel Kubani/AFP)

A nona de 19 etapas da Fórmula 1 será em Silverstone, na Inglaterra, no dia 6 de julho, marcando a metade do campeonato.

A CORRIDA:

Massa largou bem, assegurou a ponta, já Bottas foi ultrapassado por Rosberg, mas conseguiu retomar a posição na segunda curva. Alonso forçava Rosberg, mas não conseguiu tomar a posição, enquanto Hamilton conseguiu tomar cinco posições antes do final da primeira volta, completando na quarta colocação.

Já na segunda volta, Vettel teve problemas de tração e perguntava à equipe: "Me digam o que fazer". Após levar seu carro para fora da pista, conseguiu consertar o problema e respondeu à equipe: "Por algum motivo, a tração voltou a funcionar".

As Williams e as Mercedes mostravam bom rendimento, abrindo grande distância para os outros carros (7s), porém, Massa não conseguia "desgarrar" das flechas de prata, mantendo sempre menos de um segundo de vantagem.

A partir da oitava volta, Hamilton passou a atacar Rosberg, permitindo que a Williams abrisse uma distância um pouco maior (1.5s) e, mesmo com melhor rendimento em seu carro, Rosberg fechava a porta para o inglês.

Na décima volta, Hulkenberg abriu as paradas no pit stop e, na 12ª, Rosberg foi o primeiro do pelotão da frente a parar. Sem o alemão à frente, Hamilton conseguiu encostar em Bottas, tirando mais de um segundo por volta, mas decidiu parar, na 14ª volta.

No fechamento da volta, foi a vez de Massa parar e, dessa vez, sem problemas, parando com o tempo parecido de Hamilton, mas ainda assim, voltou à pista atrás de Rosberg, que fez uma parada quase um segundo menor. Aproveitando os pneus frios de Massa, o inglês também ultrapassou o brasileiro, transformando as posições em Rosberg-Hamilton-Massa.

Bottas, então líder da prova, fez uma parada 1.2 segundos mais rápida que Massa, voltando à frente de Hamilton e do brasileiro. Com a parada mais rápida entre os quatro carros, Rosberg liderava o pelotão Mercedes/Williams.

Mostrando um bom rendimento, novamente, Pérez era o líder da prova, aproveitando-se de sua estratégia de apenas uma parada e resistindo bem aos ataques de Rosberg, que tinha pneus mais novos.

Na 21ª volta, Hamilton passou a atacar Bottas, permitindo que Massa se aproximasse mais. Porém, o rendimento da Williams na reta era melhor que o da Mercedes e, num circuito com apenas seis curvas, a Hamilton tinha dificuldade em ultrapassar o finlandês.

Na 27ª volta, Rosberg colocaou o carro de lado e conseguiu ultrapassar Pérez, trazendo consigo o carro de Bottas. Na volta seguinte, foi a vez de Hamilton deixar o mexicano para trás, colocando o carro da Force India entre ele e Felipe Massa.

Na 30ª volta, Pérez foi para os boxes, deixando Rosberg como líder, seguido por Bottas, Hamilton e Massa, este último, há mais de cinco segundos do alemão. Na volta seguinte, Rosberg passou a ter problemas de reta, segndo atacado por Bottas, que tirava mais tempo a cada volta.

Rosberg conseguiu recuperar os problemas em seu carro e abriu nova distância do finlandês. Hamilton seguia próximo de Bottas, enquanto Massa era o mais distante do pelotão. Na volta 40, Hamilton foi o primeiro a parar, demorando quatro segundos, uma longa parada.

Na volta seguinte, foi a vez do alemão parar, marcando um segundo a menos que o inglês. Bottas parou na 42 e teve 3.4 segundos, mas com Hamilton voando na pista, Rosberg e Hamilton ficaram à frente do finlandês.

O último a parar foi Felipe Massa, na volta 44, e fez uma parada com o mesmo tempo de Bottas, voltando atrás do companheiro de equipe e do mexicano Sergio Pérez, que seguia com uma boa estratégia de parada.

Mesmo com um rendimento melhor no carro, Felipe não conseguia ultrapassar Pérez e teve de esperar até a volta 56, quando o mexicano, finalmente, entrou nos boxes.

Logo na primeira volta sem Pérez à frente, Massa conseguiu tirar 0s7 de diferença para Bottas, mas seguia 3.5s atrás do finlandês. Tentando reduzir a distância, Felipe viu Alonso se aproximar, tendo pneus mais novos em seu carro. Após 10 voltas, Massa não conseguiu diminuir a distância para o finlandês e precisou se contentar em conter Alonso.

No fim, as posições se mantiveram, mesmo com Hamilton diminuindo a distância para Rosberg, que terminou em primeiro. Bottas conseguiu uma boa prova e terminou logo à frente de seu companheiro de equipe, na terceira colocação. Felipe, em quarto, segurou Alonso, que foi o quinto. Pérez se aproveitou de mais uma boa estratégia da Force India e foi o sexto, seguido por Magnussen, Ricciardo, Hulkenberg e Raikkonen.

Lewis Hamilton até tentou atacar Nico Rosberg, mas teve de se contentar com o segundo lugar (Foto: Christof Stache/AFP)

Confira a classificação final da prova:

1 - Nico Rosberg (ALE) - Mercedes - 1h27m54s976
2 - Lewis Hamilton (GBR) - Mercedes - a 1s900
3 - Valtteri Bottas (FIN) - Williams - a 8s100
4 - Felipe Massa (BRA) - Williams - a 17s200
5 - Fernando Alonso (ESP) - Ferrari - a 18s300
6 - Sergio Pérez (MEX) - Force India - a 28s200
7 - Kevin Magnussen (DIN) - McLaren - a 31s500
8 - Daniel Ricciardo (AUS) - Red Bull - a 42s900
9 - Nico Hulkenberg (ALE) - Force India - a 43s500
10 - Kimi Raikkonen (FIN) - Ferrari - a 47s100
11 - Jenson Button (GBR) - McLaren - a 50s200
12 - Pastor Maldonado (VEN) - Lotus - a 1 volta
13 - Adrian Sutil (ALE) - Sauber - a 1 volta
14 - Romain Grosjean (FRA) - Lotus - a 1 volta
15 - Jules Bianchi (FRA) - Marussia - a 2 voltas
16 - Kamui Kobayashi (JAP) - Caterham - a 2 voltas
17 - Max Chilton (ING) - Marussia - a 2 voltas
18 - Marcus Ericsson (SUE) - Caterham - a 2 voltas
19 - Esteban Gutierrez (MEX) - Sauber - a 2 voltas

Não Completaram:

Daniil Kvyat (RUS) - Toro Rosso
Jean-Eric Vergne (FRA) - Toro Rosso
Sebastian Vettel (ALE) - Red Bull


Nico Rosberg comemorou a vitória e a manutenção da liderança do campeonato mundial de pilotos (Foto: Jure Makovec/AFP)