icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/03/2014
16:42

Em reunião realizada na última segunda-feira, a Federação Alagoana de Futebol (FAF) definiu que as torcidas organizadas do São Paulo não poderão comparecer ao estádio Rei Pelé para o duelo com o CSA na estreia da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 22h. A entidade alega que as uniformizadas tricolores têm se envolvido constantemente com episódios de violência no futebol, como na morte do santista Márcio Barreto de Toledo há duas semanas.

Além da Torcida Tricolor Independente e da Dragões da Real, a FAF também vetou a entrada da Mancha Azul, principal organizada do time alagoano. Apenas Sangue Azul e Movimento Resistência Azul foram liberados para a partida, mas não poderão carregar nenhum tipo de bandeira com mastro.

Os ingressos destinados à torcida visitante já estão esgotados, enquanto os azulinos podem comprar os bilhetes na sede da FAF até as 15h desta quarta com preços entre R$ 30 e R$ 100. Os são-paulinos terão de esperar por até 40 minutos após o final do jogo para deixar o estádio Rei Pelé para evitar encontro com os torcedores do CSA.

CONFIRA O COMUNICADO EMITIDO NO SITE DA FAF:

A Federação Alagoana de Futebol, através da Resolução de nº 006/15, proíbe todas as Torcidas Organizadas do São Paulo, Dragões da Real e Independente de ter acesso ao estádio Rei Pelé na partida contra o CSA no dia 12 de março, às 22, pela Copa do Brasil.
O motivo é por conta dos históricos de confronto da Torcida paulista em confusões com outras facções no Estado de São Paulo.

RESOLUÇÃO DA PRESIDÊNCIA – Nº 006/15 – Proibindo a entrada de todas as Torcidas Organizadas do São Paulo na partida contra o CSA no dia 12 de março, pela Copa do Brasil no estádio Rei Pelé.

CONSIDERANDO que as torcidas Dragões da Real e Independente envolveu-se em confusões durante algumas partidas no Estado de São Paulo.

RESOLVE:

Proibir todas as Torcidas Organizadas do São Paulo na partida contra o CSA no dia 12 de março, pela Copa do Brasil no estádio Rei Pelé, bem como a utilização de qualquer indumentária e objetos (faixas, bandeiras, camisas, bonés, símbolos, calções, agasalhos, toucas, etc.) que identifiquem os associados das referidas torcidas uniformizadas.

Esta resolução entra em vigor a partir desta segunda-feira (10/03), revogadas as disposições em contrário.

José Eurico Beltrão Coelho da Paz
Presidente