icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
25/08/2015
20:57

Em mais uma grande atuação de Digão, o Al Hilal venceu o Lekhwiya em casa por 4 a 1 e abriu boa vantagem nas quartas de final da Liga dos Campeões Asiática. O defensor, líder da equipe saudita dentro de campo, já conta com grande experiência na competição. Isso se deve ao fato de que o carioca alcançou a final do torneio no ano passado.

Apesar de não ter levado o título, ficaram as memórias da boa campanha e a vontade de triunfar nesta temporada. Estabelecido como um grande ídolo do clube, foi um dos principais responsáveis pelo fraco desempenho ofensivo dos atuais campeões da liga catari, além de ter marcado um gol anulado pelo árbitro da partida. Além de Digão, o time conta com outros dois brasileiros: Carlos Eduardo, ex-Fluminense, e Aílton Almeida. Os dois brasucas contribuíram com gols na partida. Digão falou sobre o grande resultado alcançado.

- Em competição de mata-mata, não se pode errar. Conseguimos fazer um ótimo jogo dentro de casa e abrimos uma vantagem significativa. O juiz ainda anulou um gol legítimo meu, mas isso é coisa do jogo. Nosso torcedor sempre comparece e faz uma grande festa, algo que nos ajuda muito em campo. Agora, vamos nos preparar para a partida de volta. Sei que a competição é difícil e não podemos nos desconcentrar. No ano passado cheguei muito perto, mas não conquistei esse título. Então, vou com tudo para levar esse caneco para a nossa torcida - disse.

Apesar do grande resultado em casa, a equipe de Riyadh ainda tem muito para evoluir dentro de campo. O calendário do futebol saudita acompanha o europeu, portanto este é apenas o terceiro jogo do Al Hilal na temporada. Já a Liga dos Campeões Asiática acompanha as datas do futebol brasileiro e se encontra em suas fases finais.

- É difícil começar a temporada disputando grandes decisões, já que ainda não estamos em uma forma física ideal. O calendário da Champions League Asiática não é o melhor para nós. Apesar disso, não podemos escolher datas para disputar nossas partidas. O Al Hilal nos dá uma grande estrutura e, por isso, espera um grande retorno em campo. Já fomos campeões da Super Copa Árabe no primeiro confronto que disputamos neste ano. Logo, não dá para ficar criando desculpas - concluiu.

Em 76 jogos disputados pelo Al Hilal, Digão acumula 47 vitórias, 13 empates e 16 derrotas. Além disso, foi campeão da Copa do Rei e da Super Copa Árabe pelo clube. No Fluminense, o defensor já havia sido bicampeão brasileiro.

Em mais uma grande atuação de Digão, o Al Hilal venceu o Lekhwiya em casa por 4 a 1 e abriu boa vantagem nas quartas de final da Liga dos Campeões Asiática. O defensor, líder da equipe saudita dentro de campo, já conta com grande experiência na competição. Isso se deve ao fato de que o carioca alcançou a final do torneio no ano passado.

Apesar de não ter levado o título, ficaram as memórias da boa campanha e a vontade de triunfar nesta temporada. Estabelecido como um grande ídolo do clube, foi um dos principais responsáveis pelo fraco desempenho ofensivo dos atuais campeões da liga catari, além de ter marcado um gol anulado pelo árbitro da partida. Além de Digão, o time conta com outros dois brasileiros: Carlos Eduardo, ex-Fluminense, e Aílton Almeida. Os dois brasucas contribuíram com gols na partida. Digão falou sobre o grande resultado alcançado.

- Em competição de mata-mata, não se pode errar. Conseguimos fazer um ótimo jogo dentro de casa e abrimos uma vantagem significativa. O juiz ainda anulou um gol legítimo meu, mas isso é coisa do jogo. Nosso torcedor sempre comparece e faz uma grande festa, algo que nos ajuda muito em campo. Agora, vamos nos preparar para a partida de volta. Sei que a competição é difícil e não podemos nos desconcentrar. No ano passado cheguei muito perto, mas não conquistei esse título. Então, vou com tudo para levar esse caneco para a nossa torcida - disse.

Apesar do grande resultado em casa, a equipe de Riyadh ainda tem muito para evoluir dentro de campo. O calendário do futebol saudita acompanha o europeu, portanto este é apenas o terceiro jogo do Al Hilal na temporada. Já a Liga dos Campeões Asiática acompanha as datas do futebol brasileiro e se encontra em suas fases finais.

- É difícil começar a temporada disputando grandes decisões, já que ainda não estamos em uma forma física ideal. O calendário da Champions League Asiática não é o melhor para nós. Apesar disso, não podemos escolher datas para disputar nossas partidas. O Al Hilal nos dá uma grande estrutura e, por isso, espera um grande retorno em campo. Já fomos campeões da Super Copa Árabe no primeiro confronto que disputamos neste ano. Logo, não dá para ficar criando desculpas - concluiu.

Em 76 jogos disputados pelo Al Hilal, Digão acumula 47 vitórias, 13 empates e 16 derrotas. Além disso, foi campeão da Copa do Rei e da Super Copa Árabe pelo clube. No Fluminense, o defensor já havia sido bicampeão brasileiro.