icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
12/11/2014
12:53

Perto de disputar a final da Série C do Brasileiro pelo Paysandu, o meia Héverton viu nesta quarta-feira um capítulo difícil da sua carreira voltar à tona. O Ministério Público tem indícios de que ex-dirigentes da Portuguesa receberam dinheiro para escalar o jogador na última rodada do Brasileirão de 2013. Mesmo tentando se concentrar na decisão contra o Macaé, neste sábado, o jogador não esconde a decepção com a situação.

- Estou prestes a disputar uma final de campeonato, que é muito importante para o Paysandu, onde estou muito feliz. Agora, mais do que nunca, se isso realmente existiu, eu me sinto envergonhado. Eles quase acabaram com a minha vida fazendo um absurdo desses, e a Lusa não merecia e não merece estar onde está. Triste e lamentável. O futebol perdeu a graça – disse Héverton ao GloboEsporte.com.

Para o MP de São Paulo, favores financeiros foram determinantes na escalação do meia, que estava suspenso para a partida, mas entrou em campo, e, como punição, a Portuguesa perdeu quatro pontos, sendo rebaixada para a Série B. Visto o cenário, a Lusa, que precisava de recursos financeiros, vendeu sua vaga na primeira divisão, e o MP agora busca para quem o time paulista 'cedeu' a vaga.

Com provas, o Ministério Público considera que seis funcionários do clube paulista sabiam do acordo, além da Portuguesa saber do julgamento. Conversas no sábado e no domingo anterior que Héverton entrou em campo, entre o advogado do clube e o departamento jurídico, foram descobertas pelo órgão.