icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/12/2013
12:46

O meia Héverton, da Portuguesa, cuja escalação supostamente irregular no jogo contra o Grêmio fez o clube paulista perder pontos e ser rebaixado no Brasileirão, declarou em entrevista publicada neste sábado pelo jornal "Folha de S.Paulo" que não jogaria "de jeito nenhum" no Fluminense. O Tricolor Carioca foi justamente a equipe beneficiada com a decisão em primeira instância no STJD, na última segunda-feira, e salvou-se da degola (no próximo dia 27, o pleno do tribunal julgará recurso da Lusa, esgotando assim as possibilidades no campo esportivo-jurídico). 

- No Fluminense eu não jogaria de jeito nenhum. Eu tenho ética e não concordo com algumas questões que dizem respeito ao clube - afirmou o jogador de 28 anos. 

Na partida contra o Grêmio, no Canindé, Héverton entrou aos 32 minutos do segundo tempo. Na sexta-feira anterior, ele fora punido com dois jogos de suspensão e ainda precisaria cumprir um. A Portuguesa alega que não sabia da decisão, embora tivesse um advogado a representando no julgamento, Osvaldo Sestário, que assegura ter passado a informação por telefone ao clube. 

No julgamento da última semana de dezembro, a defesa da Lusa alegará que a suspensão só foi publicada no BID da suspensão da CBF na semana seguinte (clique aqui para entender) e que artigo do Estatuto do Torcedor reformulado em 2010 define que a entidade que administra o esporte, no caso, a CBF, tem que dar ampla publicidade às decisões, o que não teria ocorrido (clique aqui para entender). 

Na entrevista ao jornal paulista, Héverton diz estar indignado e chega a dizer que "deve ter mais ooisas por trás dessa decisão". O atleta afirma também que a Lusa deve 500 mil de salários para ele e que, ainda assim, quer ficar, mesmo que tenha que jogar a Série B. 

A Portuguesa, que entrou para enfrentar o Grêmio com chances remotíssimas de rebaixamento, terminou o Brasileirão em 12º. Ao perder quatro pontos na Justiça, caiu para 17º e viu o Fluminense subir duas posições. Os cariocas ultrapassaram também o Flamengo após o próprio STJD retirar também quatro pontos do Rubro-Negro pela escalação de André Santos, expulso na final da Copa do Brasil contra o Atlético-PR, na partida contra o Cruzeiro (outro caso que entrou no julgamento),