icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
icons.title signature.placeholder Frederico Ribeiro e Thiago Fernandes
25/07/2013
01:00

A Copa Libertadores da América tem um herói. Três pênaltis defendidos na fase final do torneio fazem do goleiro Victor, eleito o melhor em campo na grande decisão, a figura mais importante da conquista inédita do Atlético-MG. Tijuana (MEX), Newell’s Old Boys (ARG) e Olimpia (PAR) experimentaram os milagres do camisa 1, que entra definitivamente na galeria de ídolos do clube.

Nas quartas de final, Victor defendeu cobrança de Riascos no último minuto da partida de volta, na Arena Independência. Na fase seguinte, foi a vez de Maxi Rodríguez parar no milagreiro alvinegro. Miranda, do ‘Rei de Copas’, teve o mesmo destino quando ficou frente a frente com o ‘Santo’.

LEIA MAIS:

> 'Voltei ao Brasil para isso', diz Ronaldinho após o título
> Herói da Libertadores, Victor destaca dificuldades do Atlético-MG
> Bernard celebra título, mas não garante permanência no Atlético-MG
> Wallpaper Atlético Mineiro Campeão da Copa Libertadores da América
> Torcedores do Atlético-MG pulam catracas e geram confusão no Mineirão
> Atlético-MG vence título mais importante e tudo começou nos 6 a 1
> Cuca comemora título e 'alívio' por deixar de ser azarão
> Editor do L! analisa campanha vitoriosa do Galo na Liberta

Ao término da decisão, ainda sem a consciência de sua importância para a história do Galo, o defensor comentou a situação.

– Quando você conquista com mais dificuldade é melhor de comemorar. Vamos comemorar muito – declarou o goleiro alvinegro, que ainda completou:

– Por tudo que vivemos, que passamos, pela estrutura do clube... Hoje, fomos abençoados por tudo isso.

O Atlético Mineiro conquistou sua primeira Taça Libertadores depois da vitória nos pênaltis, sobre o Olimpia, no Mineirão. No tempo normal, o Galo fez 2 a 0, com gols marcados por Jô e Leonardo Silva.

Destaque da Liberta: São Victor e suas defesas milagrosas

A Copa Libertadores da América tem um herói. Três pênaltis defendidos na fase final do torneio fazem do goleiro Victor, eleito o melhor em campo na grande decisão, a figura mais importante da conquista inédita do Atlético-MG. Tijuana (MEX), Newell’s Old Boys (ARG) e Olimpia (PAR) experimentaram os milagres do camisa 1, que entra definitivamente na galeria de ídolos do clube.

Nas quartas de final, Victor defendeu cobrança de Riascos no último minuto da partida de volta, na Arena Independência. Na fase seguinte, foi a vez de Maxi Rodríguez parar no milagreiro alvinegro. Miranda, do ‘Rei de Copas’, teve o mesmo destino quando ficou frente a frente com o ‘Santo’.

LEIA MAIS:

> 'Voltei ao Brasil para isso', diz Ronaldinho após o título
> Herói da Libertadores, Victor destaca dificuldades do Atlético-MG
> Bernard celebra título, mas não garante permanência no Atlético-MG
> Wallpaper Atlético Mineiro Campeão da Copa Libertadores da América
> Torcedores do Atlético-MG pulam catracas e geram confusão no Mineirão
> Atlético-MG vence título mais importante e tudo começou nos 6 a 1
> Cuca comemora título e 'alívio' por deixar de ser azarão
> Editor do L! analisa campanha vitoriosa do Galo na Liberta

Ao término da decisão, ainda sem a consciência de sua importância para a história do Galo, o defensor comentou a situação.

– Quando você conquista com mais dificuldade é melhor de comemorar. Vamos comemorar muito – declarou o goleiro alvinegro, que ainda completou:

– Por tudo que vivemos, que passamos, pela estrutura do clube... Hoje, fomos abençoados por tudo isso.

O Atlético Mineiro conquistou sua primeira Taça Libertadores depois da vitória nos pênaltis, sobre o Olimpia, no Mineirão. No tempo normal, o Galo fez 2 a 0, com gols marcados por Jô e Leonardo Silva.

Destaque da Liberta: São Victor e suas defesas milagrosas