icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes e Pedro Barboza
20/11/2013
07:02

No dia 8 de agosto de 2011, um certo Hernane era apresentado pelo Paraná como reforço para a sequência do Brasileirão da Série B. Quatro meses depois, porém, o desconhecido jogador vindo do futebol paulista deixou o clube sem se destacar. Quase dois anos depois da saída, o agora Brocador, artilheiro do país e protagonista do Flamengo, retorna à cidade na qual teve início uma mudança de rumo na carreira para tentar decidir a Copa do Brasil diante do Atlético-PR. E o primeiro jogo da final, na Vila Capanema, às 21h50 desta quarta-feira, será transmitido em tempo real pelo LANCE!Net.

O clube paranaense foi a opção imediata encontrada pelo empresário do jogador para encaixá-lo após o contrato com o São Paulo ter sido encerrado. Hernane havia disputado o Estadual pelo Paulista e, após o término da competição, ele deixava o Tricolor no qual estava desde 2007, mas sem ter oportunidade alguma no profissional.

A rotatividade no interior paulista durante esses quatro anos incomodava o jogador e o atual agente. Hernane, na época, tentava recomeçar no Paraná, mas sem muita perspectiva. O atacante não foi titular. Jogou apenas 17 vezes e marcou só dois gols. Enquanto buscava espaço, nos bastidores a trajetória do jogador começava a ser escrita.

– Hernane precisava de um clube para recomeçar a carreira. Ser integrado no início do ano, fazer uma boa pré-temporada e ter sequência de jogos. Foi então que liguei para Hélio (Vasone Júnior, do grupo Energy Sports) para pedir uma ajuda. Contei que estava com um jogador de potencial e precisava de um clube com estrutura para ele trabalhar – contou Paulo Pitombeira, agente de Hernane, ao LANCE!Net.

No fim de 2011, Hélio Vasone já articulava a compra do Mogi Mirim e sugeriu o clube ao agente de Hernane. As partes, então, fecharam o acordo e, em janeiro, quando Vasone foi empossado como presidente do Mogi, o atacante foi apresentado.

No contrato, os paulistas teriam direito a 15% como taxa de vitrine sobre uma eventual negociação e Hernane, mesmo desconhecido, teve a promessa de bônus financeiro por cada gol marcado.

A expectativa, depois, foi então confirmada e a sequência da história é de conhecimento público: o atacante marcou 16 gols no Paulistão, tornou-se vice-artilheiro da competição, foi contratado pelo Flamengo em maio de 2012, anotou três vezes até o fim da temporada e, em 2013, virou o grande nome do Flamengo.

Ex-Rubro-Negro promete visita

Cria das categorias de base do Flamengo, o atacante Paulo Sérgio foi parceiro de Hernane até o fim do ano passado pelo Rubro-Negro. Atualmente no Paraná, rival do Atlético-PR, o jovem, de 24 anos, sempre acreditou no Brocador.

– Na verdade não lembro se jogamos juntos, mas convivi bastante com ele no Flamengo. Sempre acreditei no potencial dele e hoje está onde está. Artilheiro da temporada. A última vez que nos falamos foi há uns dois meses, mas se der, vou dar um pulo no hotel para rever os amigos, e dar um abraço nele – disse o atacante, que depois que saiu do Flamengo, ainda teve uma breve passagem pelo Operário Ferroviário, time de Ponta Grossa, interior do Paraná.

Disputa de goleadores esquenta a final da Copa do Brasil