icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Renato Rodrigues
08/03/2014
08:00

Não é novidade ver Guerrero sair machucado, receber previsões pessimistas e depois surpreender no retorno. Praticamente descartado do duelo contra o São Paulo, no Pacaembu, o peruano “está voando” nos treinos desde a última quarta-feira e estará em campo neste domingo. O técnico Mano Menezes, porém, não quis confirmar se vai ser como titular.

Desta vez, o camisa 9 vive um momento atípico desde que chegou ao clube, em julho de 2012. Sempre bancado por Tite e até por Mano, agora ele convive com um jejum desde o fim de janeiro e viu o time, sem ele, marcar sete gols nos últimos dois jogos (vitórias por 3 a 0 sobre o Comercial e 4 a 0 sobre o Linense). Para “piorar“, o substituto Luciano fez quatro gols nas últimas partidas.

Guerrero é o único centroavante do elenco e até o início desse ano isso sempre lhe dava vantagem na preferência dos treinadores. No entanto, o esquema sem um homem de referência também foi aprovado por Mano.

O que surpreende positivamente, tanto comissão técnica quanto departamento médico, é a disposição do peruano em se recuperar de lesões e estar em campo. Já havia sido assim no Mundial de Clubes da Fifa no fim de 2012, quando sua participação era improvável e ele ainda fez os dois da semifinal e final do torneio.

No caso atual, o seu tratamento começou logo no vestiário do jogo diante do Comercial, no dia 26 de fevereiro. O clube já tinha a preocupação que ele ficasse fora deste duelo contra o São Paulo, visto como essencial nas pretensões da equipe de se classificar à segunda fase. Quando soube que a lesão não era grave, foi iniciada a força-tarefa para que ele estivesse à disposição de Mano.

O departamento de fisioterapia, comandado por Bruno Mazziotti, fez um trabalho intensivo para o jogador nos últimos dias. Nos treinos com bola da semana, na quarta, quinta (em dois períodos) e ontem, ele não relatou dores. Pelo contrário, correu, esforçou-se e fez até gols nas atividades técnicas.

Nesta sexta-feira, além dos gols, ele foi bem no treino de finalizações, sob tempestade, ao lado dos companheiros. A sua má precisão nos chutes foi um dos fatores mais criticados no clube nos últimos jogos.

No ano passado, o peruano foi o artilheiro da equipe na temporada, com 18 gols. O moral começou bem, mas agora corre riscos na nova fase da equipe. Neste domingo, contra o São Paulo, sua atuação pode significar sobrevida ou a saída da equipe.

GUERRERO: RETORNOS DIFERENTES

2012

LESÃO: Quase fora do Mundial
Guerrero sofreu um estiramento no ligamento colateral medial do joelho direito, em duelo contra o São Paulo pelo Brasileirão, em 2 de dezembro de 2012. Sua participação no Mundial foi quase descartada, mas ele realizou tratamento no voo de ida. Antes mesmo de chegar no Japão, em Dubai, treinou.

SITUAÇÃO: Peça imprescindível de Tite
O peruano era titular do Corinthians desde que havia entrado no time, em julho. Tite não abria mão de tê-lo como a referência do ataque, mesmo com as opções variadas para o setor, como Sheik, Martínez, Romarinho, Danilo, Douglas... Tite e o departamento médico fizeram de tudo para que ele estivesse em campo.

RETORNO: Herói e eternizado
O camisa 9 superou as dores e foi a campo com infiltrações no joelho. Logo na semifinal diante do Al Ahly (EGI), dez dias depois da lesão, ele fez de cabeça o gol da vitória por 1 a 0. Depois, na decisão contra o Chelsea (ING), ele fez mais um de cabeça e tornou-se o herói do Timão na conquista do mundo.

2013

LESÃO: Brasileiro no sacrifício
Durante o Brasileirão do ano passado, Guerrero jogou com uma fissura no quinto metatarso do pé esquerdo durante vários jogos. Enquanto isso, tomava injeções para aguentar a dor. Ele só passou por cirurgia após ir para a Seleção do Peru e os médicos exigirem a intervenção – o que ocorreu logo depois.

SITUAÇÃO: Sem reserva em 2013
Sem um centroavante de ofício na reserva do Corinthians, Guerrero sempre teve moral com Tite. Além disso, Alexandre Pato nunca se adaptou e não servia de sombra para a função de referência. O clube ainda apostou no jovem Douglas Tanque, que nem sequer jogou. Então,
ele nunca ficou fora por questão técnica.

RETORNO: Preparação para 2014
Depois da cirurgia, Guerrero recuperou-se antes do prazo e estava pronto para voltar. No entanto, na véspera do retorno, ele ingeriu uma substância proibida e foi sacado da partida. Depois, em um treino, sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e não jogou mais, focando na atual temporada.

2014

LESÃO: Susto no Paulistão
No duelo diante do Comercial, no Pacaembu, na quarta-feira da semana passada, Guerrero sentiu o joelho direito e teve de sair no primeiro tempo. Os médicos suspeitaram de lesão no menisco, mas depois foi constatada uma leve entorse no ligamento. Com isso, só precisou realizar fisioterapia.

SITUAÇÃO: Vaga ameaçada
O peruano foi bancado por Mano desde o início, sempre à frente de Alexandre Pato na preferência. Ele fez gol na segunda rodada do Paulistão, na vitória por 1 a 0 sobre o Paulista, e agora vive longo jejum. Nos últimos jogos, perdeu gols incríveis. Com a estrela de Luciano e seus gols, o esquema com centroavante pode cair.

RETORNO: Titular ou banco?
O camisa 9 treinou bem nos últimos dias e está entre os 20 jogadores relacionados para o duelo de amanhã contra o São Paulo. Na coletiva de ontem, no entanto, Mano Menezes não quis confirmar se ele voltaria como titular ou no banco de reservas. A confirmação virá pouco antes do jogo.