icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/07/2013
18:39

Paolo Guerrero não se incomoda com o fato de que o Corinthians terá de jogar no Morumbi, nesta quarta-feira, contra o São Paulo, no jogo de ida da Recopa Sul-Americana. Melhor que isso, garante que o Timão gosta de atuar no estádio, principalmente depois de ser provocado pela torcida da casa, que costuma atirar objetos no ônibus alvinegro.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, no CT Joaquim Grava, o centroavante falou do espírito que ele e os jogadores devem entrar em campo para responder à "recepção" dos são-paulinos no Cícero Pompeu de Toledo.

- Eu percebi que o Corinthians vai bem lá. A gente gosta de jogar no Morumbi, mesmo contra a torcida deles. A torcida deles fica esperando a gente na chegada e jogando cerveja, garrafas... A gente entra em campo com raiva para ganhar deles - afirmou.

Questionado se é só ele que se motiva com a hostilidade, o peruano garantiu que todos que vão no ônibus ficam bravos com a atitude da torcida rival.

- Todo mundo que vai no ônibus é guerreiro e todos ficam como eu. A gente sabe que pode acontecer, mas ficamos com raiva e queremos ainda mais ganhar - concluiu o camisa 9.

Neste ano, o Timão enfrentou duas vezes o São Paulo no Morumbi. Na primeira fase do Paulistão, vitória alvinegra por 2 a 1. Já na semifinal, em jogo único, empate por 0 a 0 e vitória corintiana nos pênaltis.

Confiante, Guerrero espera gol na final da Recopa

Paolo Guerrero não se incomoda com o fato de que o Corinthians terá de jogar no Morumbi, nesta quarta-feira, contra o São Paulo, no jogo de ida da Recopa Sul-Americana. Melhor que isso, garante que o Timão gosta de atuar no estádio, principalmente depois de ser provocado pela torcida da casa, que costuma atirar objetos no ônibus alvinegro.

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, no CT Joaquim Grava, o centroavante falou do espírito que ele e os jogadores devem entrar em campo para responder à "recepção" dos são-paulinos no Cícero Pompeu de Toledo.

- Eu percebi que o Corinthians vai bem lá. A gente gosta de jogar no Morumbi, mesmo contra a torcida deles. A torcida deles fica esperando a gente na chegada e jogando cerveja, garrafas... A gente entra em campo com raiva para ganhar deles - afirmou.

Questionado se é só ele que se motiva com a hostilidade, o peruano garantiu que todos que vão no ônibus ficam bravos com a atitude da torcida rival.

- Todo mundo que vai no ônibus é guerreiro e todos ficam como eu. A gente sabe que pode acontecer, mas ficamos com raiva e queremos ainda mais ganhar - concluiu o camisa 9.

Neste ano, o Timão enfrentou duas vezes o São Paulo no Morumbi. Na primeira fase do Paulistão, vitória alvinegra por 2 a 1. Já na semifinal, em jogo único, empate por 0 a 0 e vitória corintiana nos pênaltis.

Confiante, Guerrero espera gol na final da Recopa